MENU

Japão mantém juros perto de zero e vê melhora na economia

Japão mantém juros perto de zero e vê melhora na economia

Atualizado: Terça-feira, 15 Fevereiro de 2011 as 9:17

O comitê de política monetária do Banco do Japão (banco central do país) melhorou nesta terça-feira (15) a avaliação da economia japonesa, que considera em fase de progressiva recuperação. Apesar do otimismo, a taxa básica de juros foi mantida entre zero e 0,1%, a fim de dar estímulo ao consumo e aos investimentos.

Segundo comunicado do banco, a economia japonesa "se recupera de forma progressiva de uma fase de desaceleração".

A instituição melhorou assim a avaliação da economia pela primeira vez em nove meses. Na reunião de janeiro, o comitê de política monetária havia considerado que a recuperação parecia "marcar uma pausa".

O BC japonês destacou que as exportações e a produção industrial do país parecem crescer novamente, enquanto a expansão da economia mundial vai sendo retomada, com impulso dos países emergentes e dos exportadores de matérias-primas.

A decisão de manter a taxa básica de juros perto do zero era esperada e prolonga a política iniciada em outubro do ano passado para combater a baixa de preços que afeta o Japão há quase dois anos.

Deflação

Embora a deflação possa à primeira vista ser uma vantagem para o consumidor - que sempre prefere pagar menos por um produto -, esse movimento nos preços tende, na verdade, a prejudicar ainda mais a economia. Com a perspectiva de que os preços se manterão em queda, os consumidores adiam as compras; ao fazer isso, comprometem as vendas das empresas, que podem se ver na necessidade de demitir pessoal para evitar prejuízos.

Com mais pessoas desempregadas, o ritmo de consumo cai ainda mais, piorando a situação das empresas. O resultado pode ser uma acentuada recessão - que se caracteriza por ao menos dois trimestres consecutivos de retração no PIB (Produto Interno Bruto, soma das riquezas produzidas por um país).

O banco espera que o PIB (Produto Interno Bruto, soma das riquezas produzidas por um país) japonês cresça 2,1% no atual ano fiscal, que conclui em março de 2011, e que a inflação vá se estabelecendo na economia japonesa no ano que vem.

China à frente

Ontem o governo do Japão reconheceu que a China assumiu a posição de segunda maior potência econômica mundial em 2010, com um PIB (Produto Interno Bruto, soma das riquezas produzidas por um país) superior ao japonês para o conjunto do ano passado. A economia chinesa agora está atrás apenas do resultado dos Estados Unidos - posição que a economia japonesa ocupava desde 1968.

O ministro de Política Econômica e Orçamentária do Japão, Kaoru Yosano, cumprimentou a China pela "rápida progressão" registrada na economia.

A China registra há vários anos um índice de crescimento próximo ou superior a 10%. O PIB aumentou 10,3% em 2010.

veja também