MENU

Juros bancários para pessoas físicas caem pela metade no governo Lula

Juros bancários para pessoas físicas caem pela metade no governo Lula

Atualizado: Quarta-feira, 26 Janeiro de 2011 as 4:05

Os juros cobrados pelos bancos em suas operações com pessoas físicas caíram pela metade durante os oito anos do governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, segundo números divulgados nesta quarta-feira (26) pelo Banco Central.

Em dezembro de 2002, último ano do governo Fernando Henrique Cardoso, os juros cobrados pelas instituições financeiras nas operações com pessoas físicas estava em 83,5% ao ano, valor que recuou, gradualmente, ao longo dos últimos oito anos, atingindo a taxa de 40,6% ao ano em dezembro de 2010.

Os números do BC mostram correlação entre os juros bancários e a taxa básica da economia brasileira, definida pela própria autoridade monetária. Em dezembro de 2002, os juros básicos estavam em 25% ao ano. Já no fechamento do ano passado, atingiram 10,75% ao ano. Em janeiro, a taxa já subiu para 11,25% ao ano.

Série histórica

A série histórica do Banco Central, para a taxa de juros média dos bancos para as pessoas físicas, tem início em julho de 1994, quando foi editado o Plano Real. Naquela ocasião, os juros eram mais altos, para tentar conter as fortes pressões inflacionárias. Em julho de 1994, os juros bancários de pessoas físicas estavam em 246% ao ano. No fim do mandato do presidente Fernando Henrique Cardoso, já estavam em 83,5% ao ano.

Juros médios de todas operações de crédito

Já a taxa média de juros dos bancos, em todas suas operações de crédito com recursos livres, o que inclui as pessoas físicas e jurídicas, somou 35% ao ano em dezembro do ano passado, na comparação com 51% ao ano em dezembro de 2002. Neste caso, a série histórica do BC começa em junho de 2000, quando a taxa estava em 46,2% ao ano.    

veja também