MENU

Lagarde diz a jornal que não haverá reestruturação da dívida grega

Lagarde diz a jornal que não haverá reestruturação da dívida grega

Atualizado: Sexta-feira, 20 Maio de 2011 as 3:43

LONDRES - A Grécia ficará sob risco de default se não ampliar os esforços para colocar as finanças públicas em ordem, disse a ministra das Finanças da França, Christine Lagarde, em entrevista publicada nesta sexta-feira, 20, no jornal austríaco Der Standard. Mas, ao mesmo tempo em que expressou frustração diante da incapacidade da Grécia de cortar o déficit de seu orçamento como exigido, indicou que a Europa está comprometida em evitar o default do país.

Lagarde tem sido o nome mais recorrente entre os possíveis substitutos de Dominique Strauss-Kahn no cargo de diretor-gerente do FMI.

"O que nós certamente não queremos é um estado falido, um default, na Europa", afirmou Lagarde ao jornal. "Várias palavras podem ser utilizadas - reescalonamento, reestruturação, re-isso, re-aquilo - mas o que não haverá é uma reestruturação da dívida da Grécia", afirmou.

Lagarde disse que os ministros das finanças europeus ficaram desapontados com a mensagem que receberam da Grécia durante o encontro de segunda-feira e terça-feira. "Os gregos concordaram apenas em levantar de início 17 bilhões de euros por meio de privatizações, embora houvesse negociação sobre 50 bilhões de euros em março", disse Lagarde.

A falta de cumprimento das metas para o déficit pela Grécia prejudicou as projeções feitas no pacote de resgate, de que estaria apta a voltar a tomar emprestado no mercado financeiro em 2012. Se não puder, a União Europeia e o FMI podem ter de prover outros 26,7 bilhões de euros em recursos adicionais ao país, além dos 110 bilhões de euros do pacote de ajuda do ano passado.

Na entrevista, Lagarde esquivou-se de dar apoio à proposta alemã de que o setor privado seja forçado a cooperar com qualquer ajuda extra que a zona do euro venha a fazer. Ela apenas disse: "podemos aceitar qualquer coisa que estiver baseada em uma acomodação voluntária pelos bancos. Não direi nada além disso".

Um porta-voz do Ministério das Finanças da França confirmou as declarações de Lagarde de que o país deve acelerar o processo de privatização e colocar as finanças públicas em ordem. As informações são da Dow Jones.  

veja também