MENU

Álcool voltará a competir com gasolina, mas não vai baixar preços

Álcool voltará a competir com gasolina, mas não vai baixar preços

Atualizado: Segunda-feira, 25 Abril de 2011 as 8:32

O motorista brasileiro pode ficar tranqüilo: o preço do álcool vai cair e o combustível voltará a ser mais interessante para o bolso que a gasolina. O valor do litro, no entanto, não deverá voltar aos patamares anteriores à crise do etanol, segundo o presidente do Conselho Administrativo da Cosan, maior grupo produtor de açúcar e álcool do Brasil, Rubens Ometto.

- Se você for ver do lado do consumidor, ele comprou etanol por dez meses do ano a 55% do preço da gasolina e dois meses ao preço da gasolina: a média é boa. Agora o preço do etanol vai abaixar de novo.

Ometto, porém, afirma que o aumento nas vendas de automóveis vai afetar a recuperação completa do preço.

- Eu acho que a 55% [do preço da gasolina] não chega de novo porque o aumento da venda de carros flex está muito forte, então a demanda por combustível está muito alta. Mas vai ser em conta, vai ser 60% ou 65% do preço da gasolina.

A relação entre os preços do álcool e da gasolina no país chegou a 60,5% no ano passado, mas atingiu 84,5% em abril (veja quadro), de acordo com dados da ANP (Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis).

O número subiu por causa do preço do álcool, cujo preço subiu 40,2% nos últimos 12 meses e saltou de R$ 1,682 para R$ 2,359, segundo a ANP (veja quadro). O principal motivo do aumento foi a safra ruim do ano passado, diz Ometto.

- O problema do aumento do preço foi conseqüência de uma alteração da safra. Eu tenho 60 anos, não tenho 60 safras, mas passei por todas elas e eu nunca passei por uma seca tão grande. Teve uma perda de 10% na produção de cana, o que dá uma perda de 4 bilhões de litros de álcool, o que é muito.

O empresário assegura que a escalada do álcool já cessou e, a partir de agora, haverá um recuo porque “a safra começa de novo e o preço cai”.

veja também