MENU

Mantega prevê crescimento de 5,2% do PIB em 2010

Mantega prevê crescimento de 5,2% do PIB em 2010

Atualizado: Sexta-feira, 22 Janeiro de 2010 as 12

Depois de ficar estagnado em 2009, o Produto Interno Bruto (PIB), soma de todas as riquezas produzidas no país, crescerá 5,2% em 2010. O número foi apresentado ontem, dia 21, pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, durante a reunião ministerial na Granja do Torto.

A estimativa da Fazenda é menor que a do Banco Central (BC). No Relatório de Inflação, divulgado no fim de dezembro, a instituição projetou crescimento de 5,8% da economia para este ano.

O crescimento econômico, segundo a Fazenda, será sustentado principalmente pela demanda interna, que tem aumento previsto de 7,3%. Essa expansão, no entanto, será contrabalançada pela queda no setor externo. Conforme o ministério, as importações, as remessas de lucros para o exterior e os gastos de brasileiros em outros países terão impacto negativo de 2,1% no crescimento do PIB, resultando na taxa de 5,2%.

Dia 20 o BC divulgou que o saldo nas contas externas brasileiras, em dezembro, ficou negativo em US$ 5,94 bilhões, o pior resultado para o mês desde 1947. Pela projeção do BC, o Brasil terá déficit nas contas externas de 2,095% do PIB em 2010.

De acordo com o ministro, o investimento aumentará 16,1% neste ano, depois de ter caído em torno de 10% em 2009. O consumo das famílias subirá 6,1% e a produção industrial, que teve queda estimada de 5,3% no ano passado, crescerá 7,1%.

Para a Fazenda, a elevação do investimento no próximo ano indica que o crescimento econômico é sustentável no médio e no longo prazo. "O crescimento é sustentável, porque se dá em bases sólidas e mantém inflação sob controle, responsabilidade fiscal e baixa vulnerabilidade externa", destacou o documento.

O resultado do PIB de 2009 só será conhecido em março. A estimativa do Ministério da Fazenda é que o PIB, que mede o crescimento da economia, tenha fechado o ano em 0,1%. Já o BC projetou crescimento de 0,2%.

Por: Wellton Máximo

veja também