MENU

Mercado financeiro prevê mais inflação em 2010

Mercado financeiro prevê mais inflação em 2010

Atualizado: Segunda-feira, 26 Outubro de 2009 as 12

O mercado financeiro elevou, na última semana, a sua previsão para a inflação no ano que vem, segundo informou nesta segunda-feira, 26 de outubro, o Banco Central, por meio do relatório de mercado, também conhecido como Focus. O documento é fruto de pesquisa com as instituições financeiras.

Inflação

A previsão dos economistas do mercado financeiro para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deste ano caiu de 4,30% para 4,29%. Para 2010, porém, a expectativa do mercado para o IPCA avançou de 4,41% para 4,50%.

No Brasil, vigora o sistema de metas de inflação, pelo qual o BC calibra a taxa básica de juros para atingir metas pré-determinadas. Para 2009, 2010 e 2011, a meta central é de 4,50%, com um intervalo de tolerância de dois pontos percentuais para cima ou para baixo. Deste modo, o IPCA pode ficar entre 2,50% e 6,50% sem que a meta seja formalmente descumprida.

Deste modo, a previsão do mercado para o IPCA do ano que vem já está exatamente na meta de inflação determinada para o período - de 4,50%.

Taxa de juros

Com inflação maior, a expectativa dos analistas é de que a taxa básica de juros, atualmente em 8,75% ao ano, chegue ao fim de 2010 em 10,50% ao ano - mesma previsão da semana retrasada.

A expectativa dos economistas é de que a taxa de juros seja mantido no atual patamar de 8,75% ao ano, pelo menos, até julho de 2010, quando avançaria para 9,25% ao ano.

Em agosto do ano que vem, segundo a previsão do mercado, a taxa Selic subiria para 9,6% ao ano, e, em setembro, passaria para 9,75% ao ano. Já em outubro de 2010, a taxa de juros, ainda segundo os analistas do mercado financeiro, seria elevada para 10,25% ao ano e, em dezembro, para 10,50% ao ano.

A perspectiva de aumentos de juros maiores em 2010 passou a acontecer após a divulgação do relatório de inflação do terceiro trimestre pelo BC, ocorrida no fim de setembro. No documento, a autoridade monetária prevê um aumento da inflação em 2010 e 2011, impulsionado pelos gastos públicos.

Crescimento econômico

O mercado financeiro melhorou, na última semana, a sua projeção para o Produto Interno Bruto (PIB) deste ano. Na semana passada, passou a prever um crescimento de 0,18%, contra uma projeção anterior de um crescimento de 0,12% estimado na semana anterior. É a quarta semana seguida de aumento na previsão.

A melhora nas expectativas do mercado, que, por seis meses, acreditou em queda do PIB em 2009, acontece depois de o IBGE ter informado que o PIB do segundo trimestre deste ano cresceu 1,9% na comparação com os três primeiros meses de 2009, o que tirou a economia brasileira da chamada "recessão técnica.

Para o Produto Interrno Bruto (PIB) de 2010, a projeção do mercado financeiro permaneceu em 4,8% de crescimento. Este número é maior do que a estimativa que consta na proposta de orçamento federal para o ano que vem (de crescimento de 4,5%).

Taxa de câmbio

Na semana passada, dado que foi informado nesta segunda-feira, dia 26, a projeção do mercado financeiro para a taxa de câmbio no fim de 2009 permaneceu em R$ 1,70 por dólar. Para o fim de 2010, a previsão ficou estável em R$ 1,75 por dólar.

Balança comercial e investimentos diretos

Já a projeção dos economistas do mercado financeiro para o superávit da balança comercial (exportações menos importações) em 2009 subiu de US$ 25,6 bilhões para US$ 25,8 bilhões.

Em 2008, a balança comercial teve superávit de US$ 24,7 bilhões, com forte queda de 38,2% frente ao ano de 2007, quando o resultado positivo somou US$ 40 bilhões. Para 2010, a previsão do mercado financeiro para o saldo da balança comercial recuou de US$ 16,5 bilhões para US$ 16 bilhões de resultado positivo.

No caso dos investimentos estrangeiros diretos, a expectativa do mercado financeiro para o ingresso de 2009 ficou estável em US$ 25 bilhões na última semana. Para 2010, a projeção de entrada de investimentos no Brasil subiu de US$ 32 bilhões para US$ 33 bilhões.

veja também