MENU

Mercado prevê mais inflação e menos crescimento para 2011 e 2012

Mercado prevê mais inflação e menos crescimento para 2011 e 2012

Atualizado: Segunda-feira, 5 Setembro de 2011 as 11:32

Os economistas do mercado financeiro subiram sua estimativa para a inflação deste ano e de 2012, ao mesmo tempo em que reduziram sua previsão para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) dos dois anos, informou o Banco Central nesta segunda-feira (5) por meio do relatório de mercado, também conhecido como Focus.

Segundo o documento, que é fruto de pesquisa do BC com os bancos, a expectativa dos economistas das instituições financeiras para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deste ano subiu de 6,31% para 6,38%. A previsão para o IPCA de 2012, por sua vez, avançou de 5,20% para 5,32%.

Sistema de metas de inflação

Pelo sistema de metas de inflação, que vigora no Brasil, o BC tem de calibrar os juros para atingir as metas pré-estabelecidas. Neste momento, a autoridade monetária já está nivelando a taxa de juros para atingir a meta do próximo ano. Em 12,50% ao ano, a taxa está no patamar mais alto desde o começo de 2009.

  Para 2011 e 2012, a meta central de inflação é de 4,5%, com um intervalo de tolerância de dois pontos percentuais para cima ou para baixo. Deste modo, o IPCA pode ficar entre 2,5% e 6,5% sem que a meta seja formalmente descumprida.O BC busca trazer a inflação para o centro da meta de 4,5% em 2012.

Com isso, a previsão do mercado financeiro não está muito em linha com o que acredita o Banco Central. Na última semana, o BC baixou a taxa básica de juros da economia de 12,50% para 12% ao ano. Segundo a autoridade monetária, o cenário internacional, com a nova etapa da crise financeira em curso, manifesta "viés desinflacionário" no horizonte relevante.

Taxa de juros

Sobre a taxa de juros, o mercado financeiro começou a ajustar para baixo suas projeções após ter previsto manutenção na semana passada, quando o Copom baixou os juros.

Para o fim deste ano, a taxa recuou de 12,50% para 12,38% ao ano e, para o fim de 2012, passou de 12,38% para 11,88% ao ano.

Crescimento econômico e câmbio

O mercado financeiro também baixou, na semana passada, a sua estimativa para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 2011 de 3,79% para 3,67%. Esta é a quinta semana consecutiva que a previsão para o crescimento da economia diminui.

Os ajustes começaram após a piora da crise financeira internacional, com a revisão para baixo da nota dos Estados Unidos pela Standard & Poors. Para 2012, a previsão do mercado de crescimento da economia brasileira recuou de 3,90% para 3,84%. Trata-se do segundo recuo seguido no indicador.

Nesta edição do relatório Focus, a projeção do mercado financeiro para a taxa de câmbio no fim de 2011 permaneceu inalterada em R$ 1,60 por dólar. Para o fechamento de 2012, a previsão do mercado financeiro para a taxa de câmbio ficou estável em R$ 1,65 por dólar.

Balança comercial

A projeção dos economistas do mercado financeiro para o superávit da balança comercial (exportações menos importações) em 2011 subiu de US$ 22,9 bilhões para US$ 23 bilhões na semana passada.

Para 2012, o BC revelou nesta segunda-feira que a previsão dos economistas para o saldo da balança comercial baixou em US$ 12,10 bilhões para US$ 11,6 bilhões de superávit.

No caso dos investimentos estrangeiros diretos, a expectativa do mercado para o ingresso de 2011 ficou estável em US$ 55 bilhões. Para 2012, a projeção de entrada de investimentos no Brasil permaneceu intalterada US$ 50 bilhões.            

veja também