MENU

Mercado vê mais inflação para 2010, mostra boletim do BC

Mercado vê mais inflação para 2010, mostra boletim do BC

Atualizado: Segunda-feira, 22 Março de 2010 as 12

Os economistas do mercado financeiro elevaram na última semana, pela nona vez consecutiva, sua estimativa para a inflação de 2010. A expectativa para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA) passou de 5,03% para 5,10%, segundo informou nesta segunda-feira, dia 22, o Banco Central, por meio do relatório de mercado. O documento é fruto de pesquisa com os analistas.

Para 2011, a previsão do mercado também subiu na semana passada, desta vez de 4,60% para 4,70%. Esse foi o segundo aumento seguido.

A meta central de inflação para 2010 e 2011 foi fixada em 4,50%, com um intervalo de tolerância de dois pontos percentuais para cima ou para baixo em relação à meta central.

Assim, o IPCA pode ficar entre 2,5% e 6,5% sem que a meta seja formalmente descumprida. Deste modo, a previsão do mercado está acima da meta central para este ano e para o próximo.

Juros

Pelo sistema de metas de inflação, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, que manteve os juros estáveis em 8,75% ao ano na semana passada, é responsável por calibrar a taxa de juros para que as metas sejam atingidas.

Se os preços estão comportados, pode baixar a taxa Selic, mas se julga que a inflação não está compatível com a trajetória das metas, o BC opta por elevar os juros básicos da economia.

O mercado manteve, na semana passada, a previsão de que os juros começarão a subir em abril, no próximo encontro do Copom, quando deverão avançar para 9,25% ao ano.

A previsão para a taxa básica da economia no fim deste ano foi mantida em 11,25% ano ano, o que pressupõe novas elevações no decorrer de 2010, e, para o fim de 2011, a estimativa permaneceu estável em 11% ao ano.

Crescimento econômico

Para o Produto Interno Bruto (PIB), os economistas do mercado financeiro elevaram, na última semana, a expectativa de crescimento deste ano de 5,45% para 5,50%.

O Banco Central estima um crescimento de 5,8% para a economia neste ano, enquanto a previsão do Ministério da Fazenda é de uma expansão de 5,2%. Para 2011, a projeção dos economistas do mercado financeiro permaneceu em 4,50% de crescimento.

Taxa de câmbio

Na semana passada, dado que foi informado nesta segunda-feira, dia 22, a projeção do mercado financeiro para a taxa de câmbio no fim de 2010 recuou de R$ 1,81 para R$ 1,80 por dólar.

Para o fechamento de 2011, a previsão dos analistas para a taxa de câmbio subiu de R$ 1,85 para R$ 1,87 por dólar.

Balança comercial

Já a projeção dos economistas do mercado financeiro para o superávit da balança comercial (exportações menos importações) em 2010 permaneceu estável em US$ 10 bilhões na semana passada.

Para 2011, o BC revelou nesta segunda-feira que a previsão dos economistas para o saldo da balança comercial ficou inalterada em US$ 2,5 bilhões de superávit.

No caso dos investimentos estrangeiros diretos, a expectativa do mercado para o ingresso de 2010 permaneceu estável em US$ 38 bilhões na última semana. Para 2011, a projeção de entrada de investimentos no Brasil ficou em US$ 40 bilhões.

Por: Alexandre Martello

veja também