MENU

Metade das famílias gasta mais do que ganha

Metade das famílias gasta mais do que ganha

Atualizado: Terça-feira, 10 Maio de 2011 as 9:46

Pela primeira vez desde 2005, os gastos básicos mensais das famílias brasileiras com alimentação, educação, transporte, entre outras despesas, superaram no ano passado a renda, aponta pesquisa da Kantar Worldpanel.

O resultado da enquete, que visitou 8,2 mil domicílios e foi apresentado ontem num estudo sobre tendências de consumo pelo presidente da Associação Paulista de Supermercados (Apas), João Galassi, mostra que no ano passado as famílias brasileira gastaram R$ 2.171 por mês com despesas básicas, uma cifra 1% menor em relação à renda (R$ 2.146). Segundo a pesquisa, 53% das famílias estão com gastos acima da renda.

Quando se analisa esses dados por classe social, o desequilíbrio ocorre nos estratos de menor renda. Nas classes D/E, a renda ficou 6% abaixo do gasto e na classe o déficit é de 2%. Apenas as classes A/B tiveram renda média superior ao gasto em 2%.

Galassi não acredita que esse desequilíbrio resulte num aumento expressivo da inadimplência. Com a manutenção do ritmo de crescimento do emprego e da renda, o presidente da Apas espera que o consumidor acerte as contas naturalmente. De acordo com as projeções feitas pela entidade para este ano, o crescimento do consumo virá das classes C e D/E. Já as classes A/B devem manter a fatia.

Recorde. A voracidade do consumidor no ano passado resultou num faturamento recorde do setor. Segundo a Associação Brasileira de Supermercados (Abras), o faturamento nacional do setor somou R$ 201,6 bilhões em 2010, com crescimento 7,5% descontado a inflação do período. "Foi o maior crescimento da série histórica", diz o presidente da Abras, Sussumu Honda. Para este ano, a projeção é de um crescimento real de cerca de 4%. Isso significa que as vendas vão continuar crescendo, porém num ritmo menor.

De toda forma, não é isso que se viu até agora. Martinho Paiva Moreira, diretor de Economia da Apas, conta que, de janeiro a abril, as vendas reais dos supermercados no Estado de São Paulo aumentaram 7% na comparação com o mesmo período de 201o, apesar da inflação.

Vigor

R$ 201,6 bilhões

foram vendidos pelos supermercados brasileiros no ano passado.

7,5% foi a taxa real de crescimento da receita do setor em 2010. Para este ano, a previsão inicial é crescer 4%, descontada a inflação.

veja também