MENU

Muçulmana que se recusou a tirar véu finaliza prova para renovar CNH

Muçulmana que se recusou a tirar véu finaliza prova para renovar CNH

Atualizado: Segunda-feira, 17 Outubro de 2011 as 4:23

A dona de casa afirma que não fez a prova por

causa do véu (Foto: Reprodução/TV Globo)

  A muçulmana Ahlam Saifi, que disse ter sido impedida de concluir uma prova de renovação da carteira de motorista no sábado (15) após se recusar a tirar seu véu, conseguiu finalizar o teste na manhã desta segunda-feira (17) em São Bernardo do Campo, no ABC. Segundo o Detran, a dona de casa foi aprovada.

A muçulmana afirma que foi impedida de terminar a prova no sábado porque não quis retirar o véu que usava por motivos religiosos. O caso foi parar na polícia. Uma investigação foi aberta no 1º DP de São Bernardo do Campo.     A avaliação já tinha começado no Centro de Formação de Condutores (CFC) quando Ahlam Saifi disse que uma funcionária a informou que ela só poderia continuar o teste se tirasse o véu. "Falaram que nenhum aluno pode entrar de boné, de gorro, com alguma coisa que não tenha como identificar."

Ela se recusou a tirar o acessório e explicou que isso é contra sua prática religiosa. "É um traje religioso, na verdade é o véu e a roupa por completo. É o hijab, que a mulher muçulmana tem que vestir", disse. Segundo ela, a prova foi bloqueada pelo Detran, que acompanha o teste pela câmera no computador. "Tive que levantar, pegar minhas coisas e sair. Deixei a prova pela metade."   Detran e CFC

De acordo com o Detran, porém, não houve nenhuma orientação do órgão para que a prova fosse bloqueada. Segundo a assessoria de imprensa informou, houve uma queda no sistema da autoescola, que acabou causando o bloqueio da prova. O problema aconteceu em outras localidades também.

Orivaldo Marchi, dono do Centro de Formação de Condutores, disse que houve um problema apenas no computador utilizado por Ahlam. Diante do bloqueio, funcionárias responsáveis por administrar a prova pensaram que o trava tinha sido solicitada pelo Detran por causa do uso do véu. “Não teve nenhum preconceito, o que houve foi uma desinteligência geral”, disse.

O Detran informou que vai abrir um processo para apurar os fatos, entender o que houve e que pode tomar as medidas cabíveis, podendo até descredenciar a autoescola.        

veja também