MENU

Na última semana com IPI reduzido, preço de produto da linha branca varia até 33%

Na última semana com IPI reduzido, preço de produto da linha branca varia até 33%

Atualizado: Terça-feira, 27 Outubro de 2009 as 12

O consumidor que quer aproveitar a última semana com redução no Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) nos eletrodomésticos não pode abrir mão de pesquisar o preço. Em  visita a lojas do varejo, o G1 encontrou uma variação de até 33% no preço de um mesmo produto dependendo do estabelecimento.

Em abril, o governo reduziu o IPI das máquinas de lavar roupa de 20% para 10%, das geladeiras de 15% para 5%, dos fogões de 5% para zero e dos tanquinhos de 10% para zero. A redução vai até dia 31 de outubro, mas fabricantes e varejistas reivindicam a prorrogação do desconto pelo menos até janeiro.

Mesmo com a possibilidade de prorrogação, muitos consumidores têm ido às lojas para aproveitar os preços mais baixos. A dona-de-casa Helena da Silva, de 57 anos, foi com os dois filhos comprar um fogão e um micro-ondas. "A gente queria ter vindo no sábado, mas não deu. Então viemos hoje para aproveitar antes que acabe", contou ao G1 a filha de Helena, Cristiane Gomes da Silva, de 32 anos.

Segundo Cristiane, a economia foi maior que o esperado. "O fogão que a gente queria custava pouco mais de R$ 1.500. Agora a gente conseguiu por R$ 900", conta ela.

Antes de fechar o negócio, a família pesquisou os preços. "Aqui mesmo demos uma olhadinha rápida, mas a gente pesquisou bastante na internet para ter uma noção dos preços", afirma Cristiane.

A pesquisa é importante. Em uma avaliação feita pelo G1, um mesmo produto em uma loja foi encontrado por um preço 33% maior em outra. Foi o caso do tanquinho Mueller Superpop, encontrado por R$ 180 no Magazine Luiza da Rua Teodoro Sampaio, em São Paulo, e por R$ 239 nas lojas Pernambucanas, na mesma rua, nesta segunda-feira (24).

A situação entre Pernambucanas e Magazine Luiza se inverteu na compra da máquina de lavar Electrolux LTR10. Nas Pernambucanas, ela custava R$ 999. No Magazine Luiza, R$ 1.300 ? 30% mais caro.

A variação de preços também é considerável entre lojas físicas e virtuais. O fogão Brastemp Unique foi encontrado na loja virtual Extra.com.br por R$ 899 nesta segunda-feira e por R$ 1.049,99 ? 16% a mais -- na loja do Ponto Frio na Teodoro Sampaio. Mas nem sempre a vantagem é da loja virtual. A geladeira Electrolux RDE30 na cor branca saiu por R$ 799 nas Casas Bahia da Teodoro Sampaio e por 28% a mais, R$ 1.029, no site Submarino.

Consumidores

A assistente administrativa Viviane Alves, de 29 anos, quer comprar um dos produtos mais buscados pelos consumidores, uma máquina de lavar, e conta que tem encontrado uma variação muito grande nos preços.

"Já vi de R$ 999 a R$ 1.200, a mesma lavadora", afirma. Ela pretende fechar o negócio ainda esta semana para aproveitar o desconto, mas admite que esperava mais da redução do IPI. "Pela propaganda toda, eu achei que estaria mais barato", afirma.

O produtor gráfico André Cipriano, de 40 anos, está pesquisando tanto em lojas físicas quanto virtuais o preço de sua futura máquina de lavar. O modelo já foi escolhido. "Já achei. Em todos os lugares está mais ou menos a mesma coisa, R$ 949", contou.

Agora, ele parte para a segunda fase da compra: a negociação. "Estou aqui para tentar apertar a menina da loja, ver se dá para abaixar esse preço", afirma.

O desconto no IPI também atraiu o casal Cláudio e Josiane Ferreira, de 37 e 30 anos, que espera seu primeiro filho. Mas eles também esperavam preços mais baixos.

A visita à loja era para ver um berço, mas o anúncio da possibilidade do fim do desconto no IPI fez os dois começarem a pesquisar também os preços de uma máquina de lavar roupas com secadora.

"Precisamos de uma coisa dois em um porque a gente mora em apartamento. Mas ainda está muito caro", conta Josiane. "Está muito alto. As lojas estão falando aí que está mais barato, mas eu não vi nada tão abaixo assim. Ainda está difícil comprar", diz Cláudio.

A reclamação é a mesma da técnica em alimentos Aline Farias, de 23 anos, que procura uma geladeira há seis meses. "Está mais barato, mas o valor à vista ainda é alto. E não dá para parcelar com esses juros", diz ela. "Eu estou de olho, mas eu olho para esses juros e não vou com a cara não", reclama.

veja também