MENU

No cheque especial, o juro médio passou de 8,36% ao mês para 8,05%

Juros ao consumidor têm recuo mínimo em julho

Atualizado: Terça-feira, 17 Julho de 2012 as 8:13

As taxas médias de juros ao consumidor registraram "alterações mínimas" em julho, em relação ao mês anterior, aponta pesquisa divulgada nesta segunda-feira (16) pela Fundação Procon-SP, órgão vinculado à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania.


No empréstimo pessoal, houve um recuo da taxa média de 0,08 ponto percentual, passando de 5,50% ao mês (a.m.) para 5,42%. Com relação ao cheque especial, a queda foi de 0,31 ponto percentual, passando de 8,36% a.m., em junho, para 8,05%, em julho

O levantamento feito pelo Procon no dia 2 de julho no Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, HSBC, Itaú, Safra e Santander. Os dados coletados referem-se às taxas máximas pré-fixadas para clientes não preferenciais, independente do canal de contratação, sendo que para o cheque especial foi considerado o período de 30 dias.


A pesquisa do Procon foi realizada antes da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, que no dia 11 de julho reduziu a taxa básica de juros da economia (Selic) de 8,5% para 8%.


Segundo o diretor executivo do Procon-SP, Paulo Arthur Góes, apesar da queda da taxa de juros, o consumidor deve planejar o orçamento e não contrair empréstimos sem ter certeza de que conseguirá cumprir o contrato. “Toda contratação deve ser precedida de cuidadosa avaliação, lembrando que o custo de um empréstimo pode comprometer seriamente o orçamento da família”, afima.


O Procon-SP disponibiliza no site www.procon.sp.gov.br uma ferramenta para calcular o custo total do empréstimo ou financiamento.

veja também