MENU

No Feirão, pedreiro e dona de casa se emocionam na compra do 1º imóvel

No Feirão, pedreiro e dona de casa se emocionam na compra do 1º imóvel

Atualizado: Sábado, 14 Maio de 2011 as 10:36

“São as economias de 30 anos, é uma vida”, diz Marlene Oliveira, 48 anos, segurando orgulhosamente as chaves do primeiro imóvel próprio de sua vida. “Estou sentindo uma alegria, uma emoção”.

Mais que um investimento, a compra marca a realização do sonho dela e do pedreiro Osires de Oliveira, 50 anos, com quem é casada há 29. “A gente quis isso a vida toda, mas só agora conseguiu juntar dinheiro”, diz o marido que acabara de assinar o contrato de financiamento durante o Feirão da Casa Própria, da Caixa Econômica Federal, que começou nesta sexta-feira (13) em São Paulo, no centro de Convenções Imigrantes, e vai até domingo.

Osires e Marlene mostram a chave do imóvel adquirido (Foto: Ligia Guimarães/G1)

  A concretização do negócio é, para o casal, a recompensa por anos de disciplina e planejamento financeiro. “Tem que ter seu sacrifício, abrir mão de um sapato bom, um perfume bom, uma lingerie. Precisa abrir mão de várias coisas porque senão você não consegue. Somos muito bons nisso”, reconhece, e o marido reforça: “o que nós decidimos está decidido, lado a lado. Um fala o outro concorda, e vice-versa”, diz Osires.

As décadas de poupança deram resultado: eles conseguiram juntar R$ 47 mil para a entrada do apartamento de R$ 119 mil, um imóvel com dois dormitórios e terraço em Osasco. Conseguiram fechar o financiamento com uma parcela confortável, menor do que o aluguel da casa em que eles moram atualmente com a mais nova de seus três filhos.

Visitantes do Feirão da casa própria em São Paulo, nesta sexta-feira (13) (Foto: Ligia Guimarães/G1)

  “Eu queria morar em apartamento porque não gosto de barulho, não gosto de bagunça, gosto da minha privacidade, é mais aconchegante”, diz Marlene, que diz que pretende doar a maior parte dos móveis que estão na casa alugada na Freguesia do Ó. “Vamos ter que comprar quase tudo novo, do tamanho de apartamento, aos poucos”.

  Além da mobília, eles farão ainda algumas reformas no piso e no teto, “para deixar do nosso jeito o acabamento”, afirma Osires. “Fizemos cartões de crédito para reforma e vamos comprando os móveis aos poucos, porque eu não trabalho mais”.

“Amor à primeira vista”

Sonho realizado também para o agente judiciário Marcos Antonio Ferreira da Silva Filho, 32 anos, que até hoje divide um quarto com o irmão na casa dos pais, na Vila Mariana. A vontade de comprar o imóvel próprio veio crescendo nos últimos anos, principalmente depois que começou a namorar sério e fazer planos para o futuro. “Meu sonho sempre foi ter minha família, eu estou namorando há dois anos e meio e é nosso sonho casar mais para frente. Já era um projeto meu, mas o namoro aumentou essa minha vontade”.     Ele chegou ao Feirão sem conhecer as opções de imóveis. Parou na fila do estande de uma construtora, olhou um panfleto e comprou – sem nunca ter sequer visitado o empreendimento em que seu apartamento será construído, no Jardim Botânico, zona sul de São Paulo.

“Decidi na hora, na emoção, mas eu conheço o bairro. Já tem três torres prontas no local e vão entregar essa minha parte em 2013. Não conheço nada, estou planejando agora uma visita no fim de semana”, diz. Mas por que não fechar o contrato depois da visita? “Eu vim com um tipo de apartamento em mente e esse é melhor que eu esperava, no local que eu queria. Vi o panfleto e foi amor à primeira vista”.

Apesar de se dizer seguro da decisão, ele diz que comprar tão rapidamente um imóvel de R$ 150 mil – pago em parcelas até 2013 - dá um “frio na barriga”. “Comprar assim na emoção, sem ver, dar mais nervoso ainda”.

Marcos mostra o contrato do apartamento que comprou sem ver (Foto: Ligia Guimarães/G1)

  Foram horas de ansiedade até que o contrato de Marcos fosse liberado para assinatura. O G1 acompanhou parte da espera no estande da construtora, onde ele ficou quatro horas desde a decisão até que a compra na planta estivesse feita. O funcionário público tinha pedido autorização para se atrasar no trabalho em razão do Feirão, mas planejava voltar para o fim do expediente. Não deu. Entre ligações para a chefe, ligou também para a namorada para dar as boas novas. “Acho que a ficha dela ainda não caiu”.

Contrato assinado, Marcos já pensa na decoração do imóvel. “Vou comprando móveis e piso aos poucos. Vou guardar na casa da minha mãe e na da minha namorada. Vou ter tempo para me organizar”.

Feirão da casa própria

Começou nesta sexta-feira (13) o Feirão da Casa Própria, da Caixa Econômica Federal, que deve oferecer 450 mil imóveis entre novos, usados e na planta. Além de São Paulo, o evento já começou também em Uberlândia (MG), Curitiba, Fortaleza e Salvador.

A Caixa informou que o evento ainda vai para Belo Horizonte, Campinas, Brasília, Recife, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belém e Florianópolis nos próximos finais de semana, até 12 de junho. No total, serão 700 construtoras e mais de 500 imobiliárias.        

veja também