MENU

O Grupo Pão de Açúcar encerrou o segundo trimestre com lucro líquido de 159 milhões de reais

159 milhões de reais

Atualizado: Terça-feira, 24 Julho de 2012 as 8:49

O Grupo Pão de Açúcar encerrou o segundo trimestre com lucro líquido de 159 milhões de reais, praticamente em linha com o esperado pelo mercado e um salto sobre o ganho de 91 milhões de reais do ano anterior. O resultado exclui receita bruta de 98 milhões de reais de área de empreendimentos imobiliários.

A maior rede de varejo do país apurou um lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) de 692 milhões de reais, expansão de 7,9 por cento sobre o obtido no segundo trimestre de 2011. A geração de caixa ficou praticamente em linha com os 707,2 milhões de reais esperados pelo mercado, segundo pesquisa da Reuters com oito analistas.

A margem no período ficou praticamente estável, passando de 5,7 para 5,8 por cento, excluindo resultados da divisão GPA Malls & Properties, que administra os ativos imobiliários da rede de varejo e que fechou contratos de permuta de terrenos com Cyrela e Pitangueiras Desenvolvimento Imobiliário.

Em termos consolidados, incluindo os ativos imobiliários, a rede teve lucro líquido de 255 milhões de reais no trimestre passado ante ganho de 91 milhões de abril a junho de 2011.

A companhia apurou uma receita líquida de vendas consolidada de 12,037 bilhões de reais no segundo trimestre, crescimento de 6,8 por cento no comparativo anual e ligeiramente abaixo do esperado por analistas, de faturamento de 12,122 bilhões de reais.

O crescimento da receita bruta de vendas no conceito "mesmas lojas" da área de alimentos do grupo foi de 4,7 por cento no trimestre. Mas, em termos reais, houve recuo de 0,2 por cento no período.

A companhia afirmou que diferentemente do segundo trimestre de 2011, o período de compras que antecede a Páscoa impactou também o primeiro trimestre neste ano. Segundo o Pão de Açúcar, as vendas da divisão ficaram "em linha, portanto, com dados apresentados pelo IBGE, que apontou o menor ritmo de crescimento desde março de 2009 para o varejo".

veja também