MENU

Pesquisa do Idec aponta que os serviços bancários subiram

Pesquisa do Idec aponta que os serviços bancários subiram

Atualizado: Quinta-feira, 12 Maio de 2011 as 12:20

A cada ano o reajuste nos preços dos pacotes de tarifas bancárias é mais alto. Nos últimos três anos, desde que entrou em vigor a norma do Banco Central (BC) que regulamenta a cobrança das tarifas bancárias, os reajustes mais que dobraram, chegando a 124%. Isso foi o que mostrou a pesquisa do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) que analisou os reajustes feitos pelos sete maiores bancos do País - Banco do Brasil, Banrisul, Bradesco, Caixa Econômica Federal, HSBC, Itaú e Santander - entre abril de 2008 e fevereiro de 2011.

A pesquisa foi elaborada por meio da comparação de números divulgados no site do BC. O objetivo das comparações foi avaliar o impacto da regulamentação das tarifas no mercado.

O levantamento apontou que, juntamente com o valor das tarifas, cresceu também o número de reclamações dos consumidores por cobranças indevidas e o lucro dos bancos com elas. Nos últimos anos, enquanto o lucro dos bancos com as tarifas subiu 38%, o número de reclamações, apenas entre 2009 e 2010, cresceu 23%.

A gerente jurídica do Idec, Maria Elisa Novais, afirma que a padronização das tarifas bancárias promovida pela regulamentação do BC há três anos foi positiva, por organizar as nomenclaturas para os consumidores, facilitando a comparação. "Mas ainda falta clareza, pois o cliente não sabe que tipo de serviço pode ser obtido gratuitamente e se o pacote oferecido é adequado ao seu perfil e sua renda", declarou. Para ela, "muitos clientes pagam pelo serviço sem ter necessidade".

Os reajustes das tarifas das cestas de serviços durante o período analisado foram bem mais pesadas no bolso do consumidor. "O impacto do aumento de preço das cestas é maior porque ele é repassado imediatamente ao consumidor, ao contrário das tarifas avulsas, que são cobradas apenas quando o consumidor excede a quantidade de serviços contratados", explica a economista do Idec, Ione Amorim.

Somente o Banco do Brasil não realizou alterações nos preços de seus pacotes. Em compensação, nos outros bancos, os reajustes foram exorbitantes. O Santander reajustou seus pacote mais simples em 124%, o valor subiu de R$ 8,90 para R$ 19,90. Vale lembrar que no período da pesquisa, a inflação acumulada medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) foi de 18%.

(Redação - Agência IN)

veja também