MENU

PIB do Japão no 1º trimestre tem queda de 3,5% após revisão

PIB do Japão no 1º trimestre tem queda de 3,5% após revisão

Atualizado: Quinta-feira, 9 Junho de 2011 as 11:13

A contração da economia do Japão no período de janeiro a março deste ano foi levemente menos severa do que o informado inicialmente. O Produto Interno Bruto (PIB) japonês caiu 3,5% em taxa anualizada ajustada pela inflação, em comparação com o quarto trimestre do ano passado. O cálculo inicial do governo japonês havia apontado contração de 3,7%. Economistas esperavam que a revisão reduzisse a queda do PIB para 3,0%.

Mesmo com a revisão, a terceira maior economia do mundo teve contração por dois trimestres seguidos. Entre outubro e dezembro do ano passado, o PIB do Japão recuou 2,9% em taxa anualizada. O PIB real (descontada a inflação) caiu 0,9% em comparação com o quarto trimestre de 2010, sem revisão quanto à leitura inicial.

Os gastos de capital revisados ficaram em queda de 1,3%, mais do que a leitura inicial de baixa de 0,9% (sobre o PIB do 4º trimestre de 2010) e que a previsão de economistas, de perda de 0,8%.

Analistas esperam que a economia do Japão retome o crescimento no terceiro trimestre depois de três trimestres consecutivos de contração.     Pedestres são refletido no painel de uma empresa em Tóquio (9/06) (Foto: AP)

    O terremoto de 11 de março prejudicou as cadeias de abastecimento e evitou que os produtores japoneses exportassem suas mercadorias.

Os vazamentos de radiação da danificada usina nuclear de Fukushima, como consequência do terremoto, fizeram com que alguns países interrompessem a compra de produtos japoneses.

Sentimento do consumidor

O sentimento do consumidor no Japão subiu ligeiramente em maio, na comparação com o mês anterior, avançando pela primeira vez em quatro meses. O índice de sentimento do consumidor passou de 33,1 em abril para 34,2 em maio, segundo dados divulgados hoje pelo Gabinete de Governo. A autoridade também manteve sua avaliação sobre a confiança do consumidor para maio, dizendo que ela "permanece severa".          

veja também