MENU

"Pior momento da inflação está sendo deixado para trás", diz Mantega

"Pior momento da inflação está sendo deixado para trás", diz Mantega

Atualizado: Sexta-feira, 6 Maio de 2011 as 1:52

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou nesta sexta-feira (6) que o resultado do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de abril indica que a trajetória da inflação começou a mudar. O índice do IBGE, considerado a inflação oficial do país, ficou em 0,77% em abril e acumula alta de 6,51% em 12 meses, ultrapassando o teto da meta estabelecida pelo Banco Central para este ano, de 6,5%.

Segundo Mantega, o índice de abril "ainda está alto", mas ficou abaixo do esperado pelo mercado.

“O pior momento da inflação está passando, está sendo deixado para trás em abril e, a partir de maio, os preços vão começar a cair no Brasil de modo que a inflação estará sobre controle", disse. "Nós já poderemos respirar em maio, esperando uma inflação do IPCA em torno de 0,45% a 0,50%”, acrescentou.

Mantega destacou que os preços das commoditites está "caindo fortemente" no mercado internacional o que terá influência no preço dos alimentos e no dos combustíveis já neste mês.

"Estamos com uma forte desaceleração do preço das commodities que era uma das principais causas da inflação", afirmou. "No Brasil, a safra agrícola já começou para vários produtos, os preços dos alimentos já estão caindo e, daqui para a frente, vão cair mais ainda", disse o ministro, que também destacou que está havendo um arrefecimento dos preços de serviços.

“Estamos no chamado ponto de inflexão, ou seja, revertendo, num momento em que muda a direção da inflação para baixo”, disse.

Perspectivas para o ano

Apesar de o IPCA acumulado em 12 meses ter chegado a 6,51% em abril, o ministro considerou que a inflação no período "tecnicamente é considerada dentro da meta".

Para Mantega, a variação que superou levemente o topo da meta, que é 6,50%, ainda é considerada "na meta". "O que interessa para nós é a inflação de janeiro a dezembro, e essa não vai vai passar da meta. O que mais importa é olhar para frente e não olhar para trás", disse.

O ministro reafirmou que o governo não deixará o câmbio se valorizar para conter a inflação e considerou que as medidas implantadas até o momento, como o aumento do IOF para empréstimos no exterior, estão produzindo resultados "muito satisfatórios".

"A entrada de dólares valorizava o real, mas inflacionava a economia porque era um aumento de crédito mais barato do que as taxas do Banco Central", disse. "O fluxo excessivo parou".

Mantega também comentou que a captura e morte de Osama bin Laden é um evento político que pode ajudar a alavancar a economia dos Estados Unidos. "A economia americana está andando de lado, com previsão de crescimento de 2,8% para este ano. Quem sabe agora mude e acelere um pouco".

veja também