MENU

Polícia suíça diz que brasileira não estava grávida no momento em que foi agredida

Polícia suíça diz que brasileira não estava grávida no momento em que foi agredida

Atualizado: Sexta-feira, 13 Fevereiro de 2009 as 12

A polícia suíça divulgou na sexta-feira, dia 13 de fevereiro, que a brasileira Paula Oliveira não estava grávida no momento em que foi agredida na última segunda-feira, dia 8 de fevereiro. Durante coletiva de imprensa realizada na cidade de Zurique, autoridades informaram que chegaram à essa conclusão com base em exames realizados pelo Instituto de Medicina Legal e que os esclarecimentos em relação aos cortes sofridos por Paula ainda não foram concluídos.

O comunicado afirma que os ferimentos poderiam ter sido provocados por terceiros, mas não descarta a possibilidade de autoflagelação. De acordo com o documento, três testemunhas foram ouvidas na noite da agressão mas, em seguida, foram liberadas por falta de provas.

"Especialistas do serviço científico da Polícia Municipal, bem como técnicos criminalistas da Polícia Estadual de Zurique fizeram na segunda-feira à noite a detecção de pistas e vestígios. As análises estão em andamento e ainda faltam mais esclarecimentos criminalísticos", diz o relatório policial divulgado hoje.

Paula permanece internada no Hospital Universitário de Zurique. A informação foi confirmada pelo tio da vítima, Sílvio Oliveira, que mora em Recife e acompanha o caso por telefone. Ele relatou dificuldades para entrar em contato com o pai da brasileira na Suíça e disse desconhecer detalhes que justifiquem a nova internação, ocorrida no final da tarde de ontem.

veja também