MENU

Portugal anuncia novos cortes para diminuir deficit

Portugal anuncia novos cortes para diminuir deficit

Atualizado: Sexta-feira, 11 Março de 2011 as 9:07

O governo português anunciou neste sexta-feira um novo pacote de medidas de ajuste para reduzir seu deficit em 3,7% entre 2012 e 2013, que inclui penalizar as pensões superiores a 1.500 euros (US$ 2,069) com um "imposto especial".

Portugal decidiu assim atender ao pedido de diversas vozes dentro da União Europeia -- entre elas a da chanceler alemã, Angela Merkel -- para que fosse além em suas reformas econômicas, que entraram em vigor este ano.

O novo pacote de medidas foi anunciado nesta segunda-feira em Lisboa pelo ministro das Finanças, Fernando Teixeira dos Santos, justo quando começa a cúpula extraordinária da zona do euro em Bruxelas, com a gestão da crise da dívida soberana nos países periféricos -- entre eles Portugal -- como principal assunto a debater.

SISTÊMICO

A possibilidade de contágio econômico e piora da situação de países importantes da zona do euro têm levado o mercado a duvidar da capacidade de pagamento de países como Portugal, Espanha, Irlanda e Grécia (conhecidos como Pigs pela inicial de seus nomes em inglês e em oposição às economia emergentes do Bric). Há ainda analistas que incluem a Itália na sigla, acrescentando mais uma letra I, aumentando a sigla para Piigs.

A origem dos descontrole financeiro é a falta de fiscalização dos bancos e os gastos governamentais, os enormes defict públicos. Basicamente, o rombo estatal é derivado da ajuda a grandes bancos e de bolhas imobiliárias.

O governo português insiste em que não precisará de ajuda externa e que as medidas de cortes de gastos serão suficientes para que honre suas dívidas.

Portugal não tem dívidas tão grandes quanto as da Grécia nem bancos tão problemáticos como a Irlanda, mas está com a economia estagnada. Há uma grande pressão para que Portugal recorra a empréstimos do FMI (Fundo Moentário Internacional) e da UE.

Fontes ligadas à zona do euro, afirmam que as discussões preliminares sobre a possibilidade de Portugal pedir ajuda caso seus custos de financiamento nos mercados se tornem demasiadamente elevados acontecem desde julho.

Analistas acreditam que Portugal irá necessitar de algo entre € 50 bilhões (R$ 109 bilhões) e € 100 bilhões (R$ 218 bilhões) de ajuda.

veja também