MENU

Preço doméstico do petróleo tem defasagem, admite Barbassa

Preço doméstico do petróleo tem defasagem, admite Barbassa

Atualizado: Segunda-feira, 16 Maio de 2011 as 10:44

RIO - O diretor financeiro da Petrobrás, Almir Barbassa, admitiu nesta segunda-feira, 16, que os preços domésticos têm certa defasagem em relação ao custo internacional, mas ressaltou que "na prática", os preços domésticos acompanham o Brent num ritmo mais lento.

Apresentando à imprensa tabela relativa aos preços de realização durante todo o ano de 2010 e do preço médio da companhia e do médio praticado nos Estados Unidos durante os anos de 2008, 2009 e 2010, Barbassa apontou que em alguns momentos o preço no País esteve acima do exterior. "Mas há convergência em alguns pontos e compensação."

Segundo a tabela, o preço médio da Petrobrás no ano passado ficou em R$ 158,26 ante R$ 150,67 nos Estados Unidos por barril. No primeiro trimestre deste ano, o preço médio de realização da Petrobrás foi de R$ 163,58 e o preço médio dos Estados Unidos foi de R$ 180,54.

A alta no País foi influenciada tanto pelo repasse do preço internacional do barril para alguns produtos no mercado interno (QAV e nafta), além da valorização do real frente ao dólar. Em geral, disse Barbassa, houve crescimento do preço médio de venda no mercado interno e externo, o que contribuiu para aumentar a receita operacional em 1%.

Resultado trimestral

O diretor financeiro da Petrobrás disse que o primeiro trimestre de 2011 foi "excepcional" para a companhia. "Tivemos um bom desempenho e avançamos nas descobertas do pré-sal, consolidando nossos dados na região da Bacia de Santos e do Espírito Santo", disse em entrevista sobre os resultados financeiros da empresa, que acaba de começar na sede da estatal no Rio. Ele ressaltou que nos primeiros três meses do ano foram perfurados oito poços nestas áreas. Desde o início da campanha do pré-sal haviam sido perfurados 20 poços.

"Isso dá ideia do ritmo de crescimento que está se imprimindo na área do pré-sal de Santos e do Espírito Santo", afirmou. Na última sexta-feira, a Petrobrás apresentou lucro recorde no primeiro trimestre, de R$ 10,985 bilhões.

veja também