MENU

Preços de eletrodomésticos vão cair 'de imediato', diz Eletros

Preços de eletrodomésticos vão cair 'de imediato', diz Eletros

Atualizado: Quinta-feira, 1 Dezembro de 2011 as 2:36

O presidente da Associação Nacional de Fabricantes de Produtos Eletroeletrônicos (Eletros), Lourival Kiçula, comemorou nesta sexta-feira (1) as medidas de estimula ao consumo anunciadas pelo governo, que incluem a redução do Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI) sobre os produtos da linha branca, como geladeiras, fogões e máquinas de lavar.

“Para nós foi um presente de Natal e chegou em um momento oportuno, pois vínhamos numa curva de desaceleração”, disse ao G1 o presidente da entidade.

Segundo Kiçula, os preços dos produtos da linha branca vão cair já "de imediato", o que ajudará a elevar as vendas. “Pelo que conheço, o varejo vai repassar integralmente [a redução de IPI]. Mesmo porque o barulho dessas novas medidas vai deixar o consumidor mais animado e levará as lojas a fazerem promoções para segurar o cliente”, opina.

As medidas anunciadas pelo Ministério da Fazenda prevêem redução de até 10% no IPI. No caso do fogão, a alíquota do tributo passou de 4% para zero a partir desta quinta. Para a aquisição de geladeiras, o tributo foi reduzido de 15% para 5% e, para as máquinas de lavar, passou de 20% para 10%. Para tanquinhos, o IPI recuou de 10% para zero. O imposto reduzido vale até março de 2012.

O presidente da Eletros destaca ainda que as medidas prevêem o refaturamento dos produtos em estoque no varejo, o que permite que a redução de IPI já seja repassada imediatamente ao consumidor.

O novo estímulo ao consumo já fez também a entidade rever as previsões de crescimento do setor no ano. “Com a desaceleração no terceiro trimestre, a nossa previsão até então era empatar com o desempenho de 2010 ou chegar a um crescimento de no máximo 2%. Agora, acreditamos que possa ser mais do que 2%”, disse Kiçula.

A Eletros já prevê até encomendas adicionais do varejo neste fim de ano. “O varejo está com estoque, mas acredito que as lojas podem ficar animadas a fazer pedidos adicionais. Tudo depende dos próximos 10 dias”, avaliou.    

veja também