MENU

Prévia da "inflação do aluguel" perde força em março

Prévia da "inflação do aluguel" perde força em março

Atualizado: Quarta-feira, 10 Março de 2010 as 12

A primeira prévia do Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) de março perdeu força: o indicador, usado para calcular o reajuste da maioria dos contratos de aluguel residencial, ficou em 0,95%, abaixo da taxa de 0,98% do mês anterior. 

No ano, o indicador acumula alta de 2,78%. Em 12 meses, a alta é de 1,95%.

A boa notícia foi para o bolso do consumidor. Entre os três componentes do IGP-M, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) foi o único a recuar, passando de 0,75% em fevereiro para 0,43%. A menor variação registrada nos preços dos transportes influenciou a queda – a taxa do grupo recuou de 2,18% para 0,60%, influenciada pelas altas menores na tarifa de ônibus urbano (de 4,09% para 0,93%) e álcool combustível (de 9,36% para 3,05%).

Também ficaram menores, na passagem de fevereiro para março, as taxas dos grupos vestuário (de 0,48% para &S208;1,28%), educação, leitura e recreação (de 1,00% para 0,12%), despesas diversas (de 0,24% para &S208;0,13%) e saúde e cuidados pessoais (de 0,26% para 0,24%). Em sentido contrário, alimentos e habitação tiveram altas maiores, com as taxas acelerando de 0,86% para 0,96%, e de 0,29% para 0,35%, respectivamente.

Atacado e construção

No atacado, a inflação não arrefeceu em fevereiro. O Índice de Preços por Atacado (IPA) acelerou de 1,16% para 1,22%, com a taxa dos produtos agropecuários deixando para trás a deflação de 0,88% no mês passado para registrar alta de 2,27% em março. Ainda no corte por origem, no entanto, os preços dos produtos industriais subiram 0,89%, abaixo da alta de 1,18% no mês anterior.

Terceiro componente do IGP-M, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) ficou em 0,45%, acima da taxa de 0,41% de fevereiro. o índice relativo a materiais, equipamentos e serviços registrou variação de 0,64%, após alta de 0,45% no mês anterior. O custo da mão de obra subiu 0,24%, menos que no mês passado, quando a alta foi de 0,36%.

veja também