MENU

Previdência privada capta R$ 15,6 bi de janeiro a abril

Previdência privada capta R$ 15,6 bi de janeiro a abril

Atualizado: Terça-feira, 21 Junho de 2011 as 11:17

O mercado de previdência privada fechou o primeiro quadrimestre de 2011 com arrecadação de R$ 15,6 bilhões, um crescimento de 14,02% na comparação com o mesmo período do ano anterior. Os fundos VGBL foram o destaque, com captação de R$ 12,6 bilhões, crescimento de 16,12% no mesmo período de comparação, segundo dados divulgados nesta terça-feira pela Federação Nacional de Previdência Privada e Vida (Fenaprevi).

Em nota, o presidente da Fenaprevi, Marco Antônio Rossi, destaca que a expansão do VGBL está atrelada ao aumento da renda média dos brasileiros, em meio ao crescimento da economia. "Uma parcela significativa da população saiu da classe D e E para a classe C e passou a ter condição de poupar. Por outro lado, as seguradoras se interessaram em oferecer produtos que captassem a poupança da população bancarizada."

A arrecadação do plano PGBL cresceu 14,77% e acumulou R$ 1,9 bilhão entre janeiro e abril.

Já o número de contratos de planos de previdência privada aberta registrou expansão de 3,95% no primeiro quadrimestre, passando de 10,2 milhões para 10,6 milhões. Cerca de 101,7 mil pessoas já recebem benefícios da previdência privada, segundo a Fenaprevi.

Considerando a segmentação por tipo de plano, os individuais, voltados para pessoas físicas, receberam R$ 13,2 bilhões em recursos, alta de 15,94%. Os planos para menores de 18 anos tiveram alta de 18,11% e arrecadação de R$ 524,9 milhões. Já os aportes para os planos empresariais ficaram em R$ 1,8 bilhão, expansão de 1,35%.

As provisões do setor de previdência privada (recursos acumulados pelos titulares dos planos do sistema de previdência complementar aberta) fecharam abril com saldo de R$ 228,8 bilhões e alta de 22,55% em abril de 2011.

Ranking

A Bradesco Vida e Previdência liderou o ranking de arrecadação no primeiro quadrimestre de 2011, com 29,18% do total arrecadado, segundo a Fenaprevi. Em seguida aparece a BrasilPrev (27,10%), a Itaú Vida e Previdência (21,78%) e a Caixa Vida & Previdência (7,32%).

veja também