MENU

Procon autua postos por suspeita de preço abusivo em Goiás

Procon autua postos por suspeita de preço abusivo em Goiás

Atualizado: Quinta-feira, 28 Abril de 2011 as 8:33

O Procon de Goiás começou nesta quarta-feira a autuar usinas, distribuidoras e postos de combustíveis suspeitos de aumento abusivo de preços.

Ao todo, o órgão afirma ter encontrado irregularidades em 228 postos, 51 distribuidoras e 35 usinas localizados em Goiânia. A ação deve se estender para o interior do Estado na próxima semana.

Caso não apresentem justificativas para o aumento em até dez dias, as empresas terão que pagar multas entre R$ 300 e R$ 6 milhões.

As investigações sobre o aumento de preços começaram em janeiro, com base na análise das notas fiscais.

Segundo o gerente de pesquisa e cálculo do Procon, Gleidson Tomaz, muitos postos anteciparam o aumento dos preços dos combustíveis aos clientes antes mesmo da mudança no valor pago às distribuidoras.

O órgão também encontrou distorções nos repasses dos valores entre os integrantes da cadeia do etanol, como as usinas, que justificam o aumento devido à influência de fatores climáticos e falta de produtos.

"Mas já temos indícios de que o estoque era até 14% superior ao ano passado", afirma Tomaz.

Ainda segundo o Procon, dos 228 postos, metade tinham preços semelhantes, mesmo em contato com distribuidoras diferentes.

O Ministério Público de Goiás, que também participa da operação, junto com a Delegacia de Repressão a Crimes Contra o Consumidor, diz que vai investigar a suspeita de que algumas distribuidoras estariam deixando de vender ou aplicando preços mais altos para postos de bandeira branca.

A reportagem tentou localizar os sindicatos dos postos de combustíveis e distribuidoras para comentar o caso, mas não conseguiu contato.

Procurados, alguns postos disseram que apenas repassam o valor recebido das distribuidoras e que os valores são comprovados em nota fiscal. Eles também negam o aumento antecipado dos preços.

veja também