MENU

Produção industrial cresce pelo nono mês consecutivo, mostra IBGE

Produção industrial cresce pelo nono mês consecutivo, mostra IBGE

Atualizado: Sábado, 3 Outubro de 2009 as 12

A produção da indústria nacional registrou em setembro seu nono mês consecutivo de alta, mostrou nesta terça-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na comparação com agosto, a alta foi de 0,8%. Foi o segundo mês consecutivo, no entanto, em que o crescimento perdeu força: em julho, a alta ficara em 2,2%, e em agosto, em 1,2%.  Segundo o IBGE, a indústria acumula ganho de 14,6% desde janeiro. Mas esse crescimento ainda não recuperou as perdas registradas no final de 2008: na comparação com os primeiros nove meses do ano passado, o setor tem queda de 11,6%. Entre meses de setembro, a perda é de 7,8%.

No terceiro trimestre de 2009, o resultado também foi negativo frente a igual período do ano anterior (-8,3%), mas positivo frente ao segundo trimestre (4,1%), na série com ajuste sazonal.

Máquinas e veículos

Na passagem de agosto para setembro, os destaques de alta vieram de máquinas e equipamentos e veículos automotores, que cresceram, respectivamente, 5,8% e 3,5%. As principais pressões negativas vieram de refino de petróleo e produção de álcool (-4,7%) e alimentos (-1,0%). Dos 27 ramos pesquisados, o IBGE apontou alta em 17 nesta comparação.

Na relação com setembro de 2008, no entanto, a produção industrial recuou em 21 dos 27 setores, com veículos automotores registrando o maior impacto negativo, com queda de 16,6%, seguido por máquinas e equipamentos (-20,0%) e metalurgia básica (-13,1%).

A produção da indústria nacional registrou em setembro seu nono mês consecutivo de alta, mostrou nesta terça-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na comparação com agosto, a alta foi de 0,8%. Foi o segundo mês consecutivo, no entanto, em que o crescimento perdeu força: em julho, a alta ficara em 2,2%, e em agosto, em 1,2%.  Segundo o IBGE, a indústria acumula ganho de 14,6% desde janeiro. Mas esse crescimento ainda não recuperou as perdas registradas no final de 2008: na comparação com os primeiros nove meses do ano passado, o setor tem queda de 11,6%. Entre meses de setembro, a perda é de 7,8%.

No terceiro trimestre de 2009, o resultado também foi negativo frente a igual período do ano anterior (-8,3%), mas positivo frente ao segundo trimestre (4,1%), na série com ajuste sazonal.

Máquinas e veículos

Na passagem de agosto para setembro, os destaques de alta vieram de máquinas e equipamentos e veículos automotores, que cresceram, respectivamente, 5,8% e 3,5%. As principais pressões negativas vieram de refino de petróleo e produção de álcool (-4,7%) e alimentos (-1,0%). Dos 27 ramos pesquisados, o IBGE apontou alta em 17 nesta comparação.

Na relação com setembro de 2008, no entanto, a produção industrial recuou em 21 dos 27 setores, com veículos automotores registrando o maior impacto negativo, com queda de 16,6%, seguido por máquinas e equipamentos (-20,0%) e metalurgia básica (-13,1%).

A produção da indústria nacional registrou em setembro seu nono mês consecutivo de alta, mostrou nesta terça-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na comparação com agosto, a alta foi de 0,8%. Foi o segundo mês consecutivo, no entanto, em que o crescimento perdeu força: em julho, a alta ficara em 2,2%, e em agosto, em 1,2%.  Segundo o IBGE, a indústria acumula ganho de 14,6% desde janeiro. Mas esse crescimento ainda não recuperou as perdas registradas no final de 2008: na comparação com os primeiros nove meses do ano passado, o setor tem queda de 11,6%. Entre meses de setembro, a perda é de 7,8%.

No terceiro trimestre de 2009, o resultado também foi negativo frente a igual período do ano anterior (-8,3%), mas positivo frente ao segundo trimestre (4,1%), na série com ajuste sazonal.

Máquinas e veículos

Na passagem de agosto para setembro, os destaques de alta vieram de máquinas e equipamentos e veículos automotores, que cresceram, respectivamente, 5,8% e 3,5%. As principais pressões negativas vieram de refino de petróleo e produção de álcool (-4,7%) e alimentos (-1,0%). Dos 27 ramos pesquisados, o IBGE apontou alta em 17 nesta comparação.

Na relação com setembro de 2008, no entanto, a produção industrial recuou em 21 dos 27 setores, com veículos automotores registrando o maior impacto negativo, com queda de 16,6%, seguido por máquinas e equipamentos (-20,0%) e metalurgia básica (-13,1%).

A produção da indústria nacional registrou em setembro seu nono mês consecutivo de alta, mostrou nesta terça-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na comparação com agosto, a alta foi de 0,8%. Foi o segundo mês consecutivo, no entanto, em que o crescimento perdeu força: em julho, a alta ficara em 2,2%, e em agosto, em 1,2%.  Segundo o IBGE, a indústria acumula ganho de 14,6% desde janeiro. Mas esse crescimento ainda não recuperou as perdas registradas no final de 2008: na comparação com os primeiros nove meses do ano passado, o setor tem queda de 11,6%. Entre meses de setembro, a perda é de 7,8%.

No terceiro trimestre de 2009, o resultado também foi negativo frente a igual período do ano anterior (-8,3%), mas positivo frente ao segundo trimestre (4,1%), na série com ajuste sazonal.

Máquinas e veículos

Na passagem de agosto para setembro, os destaques de alta vieram de máquinas e equipamentos e veículos automotores, que cresceram, respectivamente, 5,8% e 3,5%. As principais pressões negativas vieram de refino de petróleo e produção de álcool (-4,7%) e alimentos (-1,0%). Dos 27 ramos pesquisados, o IBGE apontou alta em 17 nesta comparação.

Na relação com setembro de 2008, no entanto, a produção industrial recuou em 21 dos 27 setores, com veículos automotores registrando o maior impacto negativo, com queda de 16,6%, seguido por máquinas e equipamentos (-20,0%) e metalurgia básica (-13,1%).

veja também