MENU

Qualidade de crédito do consumidor recua 0,4% no 3º tri, aponta Serasa

Qualidade de crédito do consumidor recua 0,4% no 3º tri, aponta Serasa

Atualizado: Terça-feira, 19 Outubro de 2010 as 10:53

O índice que mede a qualidade de crédito dos consumidores pela Serasa Experian recuou 0,4% no terceiro trimestre de 2010, atingindo o valor de 80. O aumento no nível de endividamento dos consumidores foi estimulado pelas condições de crédito favoráveis (juros competitivos e prazos mais longos) e pelos níveis elevados de confiança.

Segundo os economistas da Serasa, esse resultado pode ser explicado, em parte, pelo fato de que o aumento do endividamento dos consumidores no terceiro trimestre não foi acompanhado pelo avanço na capacidade de pagamento.

Tais elementos contribuíram para o aumento do risco de inadimplência verificado no terceiro trimestre de 2010, quando os consumidores com rendimento mensal entre R$ 5.000 e R$ 10.000 verificaram recuo na qualidade do crédito de 0,8% e 0,5%, respectivamente. No entanto, é no grupo que pertence à classe que ganha até R$ 500 por mês que possui o menor índice de qualidade de crédito (75,4).

Este indicador avalia, numa escala de 0 a 100, a qualidade de crédito do consumidor - quanto maior, melhor a qualidade de crédito e, portanto, menor é a probabilidade de inadimplência, caso este consumidor venha a requerer crédito.

Por regiões

Na análise regional, verifica-se que as regiões Sul e Sudeste são as únicas a se situarem acima da média nacional (80,0), em termos de qualidade de crédito dos seus consumidores, registrando as marcas de 84,8 e 80,4, respectivamente. Em seguida, a região Centro-Oeste, com 78,6, praticamente empatado com a Nordeste (78,4). E, por fim, aparece a Região Norte com 76,4.

Comparativamente ao trimestre anterior (segundo trimestre de 2010), a maior queda na qualidade de crédito dos consumidores foi verificada na região Nordeste (-0,7%). As regiões Norte, Sul e Sudeste registraram recuos bem mais modestos, variando entre -0,1% e -0,3%. Apenas a região Centro-Oeste conseguiu manter estável a qualidade de crédito dos seus consumidores em relação ao segundo trimestre de 2010.    

veja também