MENU

Queda da Selic faz bancos reduzirem juros de linhas de crédito

Queda da Selic faz bancos reduzirem juros de linhas de crédito

Atualizado: Quinta-feira, 22 Janeiro de 2009 as 12

O Banco do Brasil (BB) anunciou, depois da redução da taxa básica de juros (Selic), que algumas linhas de crédito para pessoas físicas e jurídicas terão juros menores a partir da próxima sexta-feira, dia 23 de janeiro. A informação foi divulgada assim que a diretoria do BB tomou conhecimento da decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) de cortar a taxa Selic em 1 ponto percentual.

No comunicado, o BB destaca que a queda da Selic, de 13,75% para 12,75% ao ano, possibilita custos menores de captação e o repasse desse benefício para as operações de crédito. Além disso, a nova redução dá prosseguimento à estratégia do BB de diminuir gradualmente as taxas e juros de suas operações de crédito.

Desde novembro do ano passado, o BB realizou três reduções de encargos de suas principais linhas de crédito, e agora a taxa mínima do cartão de crédito será reduzida de 3,79% para 3,71% ao mês, enquanto a taxa máxima do cheque especial cairá de 7,99% para 7,91% ao mês e a taxa mínima, de 1,42% para 1,34% ao mês.

No crédito direto ao consumidor (CDC) foram reduzidas as taxas mensais do BB Crediário, de 3,19% para 2,62%; os custos do BB Material de Construção caem de 1,88% para 1,78% e do parcelamento do cartão de crédito, de 3,56 % para 3,46%. Com relação ao crédito direcionado às empresas, destacam-se as reduções nas linhas de capital de giro.

A Caixa Econômica informou que também vai reduzir os juros cobrados em algumas linhas de crédito a partir de 1º de fevereiro. No crédito consignado, os juros caem de 2,5% para 2,39%; no crédito pessoal, de 4,98% para 4,85%; no crédito direto ao consumidor, de 4,44% para 4,39%; e no cheque especial, de 7,49% para 7,35%.

Segundo a Caixa, será a segunda redução em suas linhas de empréstimos em 30 dias.

Nos bancos Itaú e Unibanco, as taxas ficam mais baixas segunda-feira (26). O crediário automático cai de 7,09% para 7,01% ao mês; o cheque especial, de 8,95% para 8,87%; e o capital de giro para pessoas jurídicas, de 7,09% para 7,01% ao mês. Segundo comunicado dos dois bancos, a redução será de 0,08 ponto percentual sobre as taxas mensais, o que corresponde ao repasse integral do corte efetuado pelo Copom, em termos anuais.

veja também