MENU

Queda de 12,4% na atividade industrial já é reflexo da crise, diz economista

Queda de 12,4% na atividade industrial já é reflexo da crise, diz economista

Atualizado: Quarta-feira, 4 Fevereiro de 2009 as 12

O desempenho da indústria em dezembro, em relação a novembro, reflete a intensificação da crise financeira internacional, segundo o economista do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) André Macedo. A queda de 12,4% verificada na passagem de um mês para o outro foi a maior já verificada desde o início da série histórica da Pesquisa Industrial Mensal, em 1991. Na comparação com o mesmo período do ano anterior, o IBGE também constatou o pior resultado dos últimos 17 anos. Nesta relação, a queda foi de 14,5%.

"Os resultados de dezembro nos dois tipos de comparação mostram taxas mais negativas do que nos meses anteriores, refletindo o agravamento da crise internacional. Até mesmo o indicador acumulado, que até setembro vinha num crescimento de 6,4%, nos últimos três meses mostra uma perda de 3,3 pontos percentuais, refletindo o menor dinamismo da indústria no último trimestre de 2008", destacou.

Ainda de acordo com Macedo, um dos desdobramentos da crise, a restrição de crédito no mercado, também explica a forte queda verificada na produção de veículos (39,7%) em dezembro na comparação com o mês anterior. O setor foi o que apresentou o maior impacto negativo.

"A atividade de veículos automotores e também aquelas que tem relação importante com esse segmento industrial tiveram essa retração muito em função da restrição de crédito, mas também reflete a perda de confiança dos agentes econômicos diante da incerteza do mercado internacional", ressaltou Macedo.

Além da indústria automobilística, outros 24 setores dos 27 pesquisados pelo IBGE recuaram entre novembro e dezembro. Apenas os ramos de outros equipamentos de transporte (6,7%) e celulose e papel (0,4%) tiveram alta.

veja também