MENU

Receita aumenta atendimento para contribuinte que caiu na malha fina

Receita aumenta atendimento para contribuinte que caiu na malha fina

Atualizado: Segunda-feira, 18 Janeiro de 2010 as 12

A Secretaria da Receita Federal informou nesta segunda-feira, dia 18, que estão abertas 40 mil vagas para atendimento aos contribuintes que caíram na malha fina do Fisco por conta de inconsistências em suas declarações do Imposto de Renda (IRPF).

Inicialmente foram disponibilizadas 25,7 mil vagas para agendamento, de acordo com a Receita Federal. "O número se mostrou suficiente para a grande maioria dos postos da Receita, entretanto, em alguns locais a procura foi maior que as vagas inicialmente destinadas", acrescentou o órgão.

De acordo com o coordenador–geral de Arrecadação e Cobrança da Receita, Marcelo de Albuquerque Lins, o serviço de agendamento pela internet do atendimento está disponível desde o dia 4 deste mês.

Monitoramento diário sobre a procura

Neste primeiro momento, segundo ele, a Receita Federal está recebendo as informações das unidades sobre a "real demanda de cada centro de atendimento".

A Receita informou que está fazendo o "monitoramento diário da demanda pelo serviço" e espera, após esta "fase inicial de ajustes", chegar a um fluxo regular de atendimento aos contribuintes.

A recomendação do órgão para as pessoas que não obtiveram sucesso no agendamento é que continuem tentando, pois o sistema está, de acordo com sua avaliação, em "perfeito funcionamento".

Malha fina

Somente em 2009, cerca de um milhão de contribuintes caíram na malha fina do leão por conta de inconsistências em suas declarações do Imposto de Renda.

Deste volume total, 378,46 mil contribuintes já saíram da malha, pois tiveram suas declarações liberadas no primeiro lote residual do IR 2009. Entretanto, quase 600 mil contribuintes do ano passado ainda estão em malha, isso sem contar os anos anteriores.

Se for necessário, a Receita Federal informou que serão abertas novas vagas no futuro, ou que fará o remanejamento das vagas de atendimento existentes.

Por: Alexandro Martello

veja também