MENU

Santander investe em universitários para construir marca

Santander investe em universitários para construir marca

Atualizado: Quinta-feira, 22 Julho de 2010 as 12:06

O   Santander   está de olho no futuro. O banco investe em ações voltadas para universitários com o objetivo de oferecer alternativas para que os jovens possam se desenvolver profissionalmente. O investimento não é só no Brasil. O Santander promove a integração dos jovens universitários com o mercado de trabalho em outros 13 países com o objetivo de contribuir para a construção de uma sociedade mais justa e equilibrada e, claro, para ter clientes cada vez mais envolvidos com a instituição.

O projeto Santander Universidades engloba professores e funcionários de Instituições de Ensino Superior. Já o perfil dos que participam segue características que o banco prefere dar prioridade, como os alunos que têm alta performance acadêmica com limitações de recursos financeiros.

Para reforçar sua presença no meio acadêmico, o Santander investirá & Qual é a representação dos universitários para o banco?

Jamil Hannouche   - O nosso compromisso com a educação começa por dedicar uma atenção especial para o público que contribui com o futuro do país. Os universitários são um dos principais pontos de atenção do Santander Universidades. Nessa fase da vida, uma das grandes tarefas é conseguir administrar trabalho, estudo e lazer. Devido a isto, eles tentam harmonizar suas vontades e desejos com seus deveres e responsabilidades, demonstrando um maior interesse por aquilo que lhe dê base para sua formação futura e que, ao mesmo tempo, lhe proporcione prazer. Por isso, temos um papel fundamental na vida dos universitários: o de orientador financeiro.

Que tipo de estratégia de relacionamento o banco desenvolve para eles?  

Jamil Hannouche   - O Santander acredita que o investimento no ensino superior é a forma mais direta e eficaz de apostar no desenvolvimento dos países em que o banco está presente. Por meio da Divisão Global Santander Universidades, o banco reforça seu compromisso com a comunidade acadêmica a partir de uma rede de relacionamentos que reúne mais de 360 instituições superiores de ensino conveniadas no Brasil e mais de 850 universidades conveniadas no mundo.

Criado em 1996, o Santander Universitário é um programa de colaboração com as universidades que firma uma aliança entre a comunidade acadêmica e o banco. Desde sua criação, investimos R$ 2 bilhões com a concessão de mais de 70 mil bolsas de estudos. Por acreditar no potencial destes universitários, criamos o Plano de Apoio à Educação Superior (PAES). Assim, o Santander investe em projetos universitários como bolsas, intercâmbio cultural, ciência, inovação, empreendedorismo, incentivo à pesquisa e à mobilidade de alunos. Quais são as características e adequações de ações para este público?

Jamil Hannouche   - Nos relacionamos com os universitários com uma linguagem direta e diferenciada. Oferecemos produtos e serviços com condições adequadas ao momento de vida deles, oferecendo orientação financeira, informações institucionais e iniciativas de apoio à educação, como programas de bolsas de estudo, cátedras e espaços digitais, além de produtos e serviços disponíveis para toda a comunidade acadêmica. O Portal Santander Universidades disponibiliza a seção "Alunos" com notícias, promoções especiais e outras novidades.

Em que ano foi criado o Prêmio Santander Universidades?

Jamil Hannouche   - Os Prêmios Santander Universidades foram lançados em 2005 com o objetivo de estimular a atitude empreendedora, a pesquisa científica e apoiar a extensão universitária. Este ano, reformulamos os Prêmios para impactar toda a cadeia de valor da educação: alunos, jovens profissionais, professores e Instituições de Ensino Superior com a premiação total de R$ 1 milhão. Nesta edição, todos os participantes serão contemplados com um curso on-line de empreendedorismo certificado pela Babson College.

Como esta iniciativa pode melhorar a imagem da marca?

Jamil Hannouche   - Nosso objetivo com os Prêmios Santander é promover o empreendedorismo, a pesquisa científica e as práticas sustentáveis. Isto reforça os atributos da marca Santander no que se refere à própria sustentabilidade, uma vez que iniciativas como esta projetam nossa visão de futuro, que vê a educação como um pilar estratégico capaz de transformar este país e de acelerar ainda mais o nosso crescimento. Contribuir e trabalhar junto com a sociedade está no nosso DNA e acreditamos que só dessa maneira nossos resultados financeiros se tornarão sustentáveis. Nossa causa pode ser resumida em uma equação social que busca o equilíbrio entre os aspectos econômico, humano e ambiental, gerando retornos positivos para toda a sociedade.

Como você acha que os jovens veem esta iniciativa do Santander?

Jamil Hannouche   - A iniciativa é muito bem recebida e admirada. A cada ano nos surpreendemos com o crescimento do número de inscrições e com a criatividade e a capacidade empreendedora dos nossos universitários. Temos um caso bem emblemático, que é o de Américo Amorim. O pernambucano foi um dos vencedores dos Prêmios Santander de Empreendedorismo em 2006 com o programa "iChords", um dicionário on-line e gratuito de acordes musicais. A empresa já chegou a 105 países e assumiu a liderança em downloads de games musicais para iPad pela MusiGames Studio, braço da D'Accord no setor de games. Como o caso dele, temos diversos outros estudantes que montaram suas empresas e aliaram o conhecimento acadêmico à iniciativa empresarial.

Qual a importância para a marca Santander ao estar ligada a toda a cadeia de valor das instituições de ensino superior?

Jamil Hannouche   - A aposta em iniciativas de apoio ao ensino superior sempre fez parte da trajetória do Santander e do Real. No ano passado, como parte da integração dos bancos, definimos quatro aspirações para a instituição no Brasil. No tocante à construção da marca, queremos ser a mais reconhecida e atrativa dentre os bancos brasileiros e referência na sociedade. Isso implica em atuarmos em sintonia com públicos estratégicos, entre os quais, os do universo acadêmico Com o Talentos da Maturidade e o Prêmio Santander Universidades, resta ao banco investir em ações para o público intermediário. Existe algum projeto para este público?

Jamil Hannouche   - O Plano de Apoio à Educação Superior (PAES) foi criado justamente para apoiar toda a cadeia de valor formada pelas Instituições de Ensino Superior: alunos, jovens profissionais, professores e funcionários administrativos. Este Plano fortalece a relação do Santander com o mundo das universidades, estreitando os elos e ampliando as conexões entre uma rede formada pelas instituições de ensino superior parceiras nos cinco continentes.

Esta iniciativa para os jovens é fundamental para a construção de bons profissionais. Como o banco entende a percepção deles no futuro com relação à marca Santander?

Jamil Hannouche   - Acredito que consolidaremos cada vez mais a nossa marca junto a este público uma vez que pessoas e conhecimento são os ativos mais valiosos de uma sociedade e, por isto, é prioridade de investimento para o Santander. Queremos construir e fortalecer a cada dia a nossa relação de parceria com nossos clientes. Prova disso é que os clientes que estão com a gente desde a época de universitário, passam a contar com os benefícios do Programa Jovem Profissional, que possui vantagens para apoiá-lo durante três anos a partir da data de sua formatura. Outro projeto é o Santander Caminhos & Escolhas, uma plataforma interativa com ferramentas para o usuário se conhecer melhor e entender o que está reservado para seu futuro. Já o portal Santander Empreendedor é um canal gratuito voltado para a educação financeira que reúne diversas funcionalidades, ferramentas e serviços para a capacitação e orientação.

Que outras ações o Santander realiza para os estudantes brasileiros?

Jamil Hannouche   - Com 14 anos de existência do Programa, foram identificados os temas comuns e os mais relevantes para a comunidade acadêmica mundial sempre compartilhando a decisão com os Reitores. Com isso, o Santander Universidades elaborou políticas globais para direcionar seus investimentos em educação de forma estratégica, ampliando sua contribuição ao progresso econômico e social dos países em que está presente.

O Plano de Apoio à Educação Superior (PAES) foi estruturado em quatro eixos estratégicos: Mobilidade, Inovação e Empreendedorismo, Transferência Tecnológica e Apoios acadêmicos. Os projetos realizados para cada uma destas vertentes são Programa Santander Universidades Mobilidade Nacional e Internacional; Prêmios Santander Universidades; Cartão Universidade - TUI e Espaço Digital Santander Universidades; e Digitalização de acervos, Apoio a empresas juniores, Programas de cátedras e Programa de pré-iniciação científica.

Qual o retorno destas ações para a companhia?

Jamil Hannouche   - É muito gratificante ter clientes que, de fato, contribuem para a construção de uma sociedade mais justa e equilibrada. A realização e implementação destes projetos é a confirmação de que a cada dia investiremos ainda mais em iniciativas de apoio à educação, pois as universidades têm um grande potencial de crescimento e papel estratégico no desenvolvimento do país.

veja também