MENU

Senado dos EUA aprova reforma do sistema financeiro

Senado dos EUA aprova reforma do sistema financeiro

Atualizado: Sexta-feira, 21 Maio de 2010 as 8:44

O Senado dos Estados Unidos aprovou nesta quinta-feira (20), por 59 votos a 39, a reforma do sistema financeiro do país. A nova lei muda a regulação dos mercados dos EUA com o objetivo de evitar uma nova crise financeira como a que atingiu o país em 2008.

A aprovação da reforma é uma vitória para o governo do presidente Barack Obama, que propôs a nova legislação em junho do ano passado.

A versão aprovada no Senado agora tem que ser conciliada com a versão da lei aprovada pela Câmara de Representantes. Depois, a legislação segue para sanção de Obama.

A reforma, debatida no Senado desde o fim de abril, cria um órgão de defesa do consumidor financeiro ligado ao Federal Reserve (Fed, o banco central americano) e impede intervenções de resgate das instituições financeiras com dinheiro do contribuinte.

A medida inclui ainda uma regulação mais estrita do imenso mercado dos produtos derivados de dívida, que apenas poderão ser comercializados de forma transparente, e propõe a proibição das operações com alguns produtos financeiros que foram acusados de ser a causa da crise imobiliária.

A lei também obriga o Fed a ser mais transparente, mediante uma auditoria completa do tribunal de contas americano, que será efetuada durante um ano.

Uma das emendas determina que o representante de Washington no Fundo Monetário Internacional deve bloquear os empréstimos do FMI quando não houver garantia de reembolso, como é o caso da Grécia.

A emenda prevê que o governo dos Estados Unidos deve conceder seu aval ao empréstimo do FMI com base na capacidade de reembolso do país beneficiado.

A reforma inclui, também, uma regulação das agências de classificação de risco, criando uma entidade intermediária entre elas e as instituições financeiras que avaliam.

Durante as três últimas semanas, os senadores examinaram cerca de 60 emendas.

(*) Com informações da France Presse e da Associated Press

veja também