MENU

Siderúrgica alemã prevê aumento de perdas em usinas no Brasil

Siderúrgica alemã prevê aumento de perdas em usinas no Brasil

Atualizado: Sexta-feira, 11 Fevereiro de 2011 as 11:44

A ThyssenKrupp alertou que custos de início de operação em suas usinas de US$ 12 bilhões no Brasil e Estados Unidos serão maiores que o esperado. A empresa destaca ainda que esse valor superior seria de várias centenas de milhões de euros e seriam atingidos por aumento de custos com matérias-primas e problemas ambientais.

As ações do maior grupo siderúrgico da Alemanha caíram depois que a empresa informou que "exigências financeiras maiores" no Brasil e nos Estados Unidos fizeram com que a dívida do grupo saltasse 3,7 bilhões de euros (R$ 8,40 bilhões, US$ 5,04) até o final do ano passado em relação ao mesmo período do ano anterior.

Analistas afirmaram que problemas ambientais da usina Companhia Siderúrgica do Atlântico, instalada no Rio de Janeiro, e outros problemas técnicos podem ter motivado os aumentos na previsão de custos. Apesar disso, uma alta acentuada nos preços de carvão também estão colocando pressão sobre a empresa. A ThyssenKrupp não deu detalhes sobre o assunto.

A companhia manteve suas metas de lucro motivada por forte demanda em seu país e desempenho de mercados emergentes superando perdas das usinas novas instaladas nos Estatos Unidos e Brasil.

O grupo informou nesta sexta-feira que o lucro líquido nos três meses encerrados em dezembro, seu primeiro trimestre fiscal, caiu quase que 50%, para 101 milhões de euros (US$ 137,56 milhões), atingido pelos custos de início das usinas da unidade Steel Americas.

A previsão média de analistas consultados pela Reuters era de ganho de 62 milhões de euros.

"Estamos vendo uma agradável recuperação econômica com um preço muito dinâmico e desenvolvimento de volume em negócios de materiais e componentes", disse o presidente-executivo, Heirinch Hiesinger.

O boom econômico da maior economia da zona do euro permitiu à ThyssenKrupp operar usinas europeias a quase 100% da capacidade no final do ano passado, ajudando a empresa a evitar pressão de margens que atingiu rivais expostos ao ainda fraco setor de construção.

A ThyssenKrupp informou que a Steel Americas provavelmente vai registrar prejuízo operacional na casa de elevados três dígitos de milhões de euros no ano que se encerra no fim de setembro. A estimativa anterior era de perda na cada de médios três dígitos.

As usinas nas Américas, uma delas sendo a CSA devem dar uma vantagem estratégica na região do Nafta em um momento em que a indústria automotiva e os setores de construção civil não residencial estão melhorando nos Estados Unidos.

veja também