MENU

Superávit primário do setor público soma R$ 86 bilhões até outubro

Superávit primário do setor público soma R$ 86 bilhões até outubro

Atualizado: Terça-feira, 30 Novembro de 2010 as 2:19

Após o recorde registrado em setembro , influência de manobra contábil para capitalização da Petrobras, as contas do setor público consolidado (governo, estados, municípios e empresas estatais) registraram um superávit primário (economia feita para pagar juros da dívida pública) de R$ 9,73 bilhões em outubro deste ano, informou nesta terça-feira (30) o Banco Central. Trata-se do pior resultado para outubro desde 2005.

Acumulado do ano

No acumulado de janeiro a outubro deste ano, ainda segundo a autoridade monetária, o superávit primário somou R$ 86,67 bilhões, o equivalente a 2,99% do Produto Interno Bruto (PIB). Com isso, está próxima da meta de 3,1% do PIB estabelecida para todo este ano.

"Ainda tem alguma coisa a ser feita [em superávit primário] até o fim do ano. A expectativa é de cumprimento da meta de 3,1% do PIB, de cumprimento da meta cheia", disse o chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Altamir Lopes.

A contabilidade pública divulgada nesta terça-feira já foi apresentada sem a Eletrobras, que foi retirada das contas do setor público no decorrer deste mês . Com a alteração, a meta fiscal para este ano recuou de 3,3% para 3,1% do PIB, uma queda de R$ 6,6 bilhões.

Na comparação com os dez primeiros meses de 2009, quando a economia para pagar juros da dívida pública somou R$ 52,33 bilhões (2,04% do PIB), influenciada pela crise financeira internacional, o esforço fiscal subiu 65% neste ano. O crescimento do superávit primário em 2010, porém, se deve à operação de capitalização da Petrobras - que inflou o superávit em R$ 31,9 bilhões.

Dívida pública

A dívida líquida do setor público, indicador que é acompanhado com atenção por investidores externos, caiu de R$ 1,43 trilhão, ou 41,5% do PIB em setembro para R$ R$ 1,43 trilhão, ou 41,3% do PIB em outubro, segundo números da autoridade monetária. A proporção da dívida com o PIB é considerada mais adequada por especialistas nesta comparação. Segundo Altamir Lopes, a dívida líquida, no percentual do PIB, registrada em outubro deste ano ficou no menor patamar desde abril de 2009. Para o fechamento de 2010, a estimativa do BC é de que a dívida líquida fique em cerca de 40,5% do PIB.    

veja também