MENU

Toshiba terá centro de design de chips no Brasil

Toshiba terá centro de design de chips no Brasil

Atualizado: Segunda-feira, 6 Dezembro de 2010 as 4:01

(STI), afiliada brasileira da Toshiba. A joint venture, anunciada na última sexta-feira, dia 3, contará com um capital de US$ 4 milhões e será composta com 60% de participação da STI, 30% da Toshiba e 10% do Centro de Pesquisas. A operação, que será sediada em Campinas, no interior de São Paulo, vai iniciar o desenvolvimento de semicondutores para aplicações no país, ao final de março de 2011, informou a Toshiba em um comunicado. "Em janeiro passado, a Toshiba recebeu 20 engenheiros de semicondutores brasileiros em nosso centro de treinamento no Japão para cinco meses de treinamento intensivo em engenharia de design de semicondutores.

Temos também dois engenheiros de design de semicondutores no Brasil, agora, (...) dando apoio à formação de engenheiros de semicondutores", declarou o vice-presidente corporativo e diretor-executivo do grupo de dispositivos eletrônicos e componentes da Toshiba Corporation, Shozo Saito. Os engenheiros brasileiros, na faixa etária de 20 a 39 anos, funcionários do Centro de Pesquisa Avançada Werner von Braun, completaram o programa intensivo de engenharia para projeto de semicondutores no Centro de Microeletrônica da Toshiba em Kawasaki, Japão. Ao mesmo tempo, desde março deste ano, a Toshiba destacou dois engenheiros projetistas de semicondutores para operarem no Brasil sob o amparo da Agência de Cooperação Internacional do Japão (JICA), que apóia o treinamento de engenheiros do projeto "IC Brasil" do governo brasileiro, cujo objetivo é fomentar o crescimento da indústria de semicondutores no país.

Os engenheiros japoneses treinarão engenheiros brasileiros por um ano em Campinas. A parceria entre a companhia japonesa e o governo brasileiro foi iniciada em abril de 2006, com a assinatura de um memorando de entendimentos na introdução do padrão ISDB-T para o sistema brasileiro de TV Digital no Brasil. De acordo com a empresa, desde então, os dois países criaram uma agenda de cooperação com o incentivo para a criação de uma indústria de semicondutores brasileira. "Acreditamos que o momento é certo para o estabelecimento de uma operação de design em uma joint-venture com parceiros-chave", disse Saito. "Estamos ansiosos para o sucesso do estabelecimento do centro de design e operação, e quanto às contribuições que esperamos desta operação para o o cultivo de uma indústria de semicondutores no Brasil", acrescentou.    

veja também