MENU

Transporte e educação pressionam aceleração do IPC-S, indica FGV

Transporte e educação pressionam aceleração do IPC-S, indica FGV

Atualizado: Segunda-feira, 24 Janeiro de 2011 as 11:24

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) acelerou para 1,18%, taxa 0,12 ponto percentual acima da verificada na última apuração, de acordo com levantamento da Fundação Getulio Vargas (FGV) divulgado nesta segunda-feira (24). Essa foi a maior taxa de variação desde a primeira semana de fevereiro de 2010, quando o índice ficara em 1,33%. Exerceram as principais pressões para a aceleração do índice as altas dos preços dos grupos transportes (de 1,49% para 2,08%), com destaque para tarifa de ônibus urbano (de 2,71% para 4,36%), e educação, leitura e recreação (de 2,43% para 2,98%), com influência de cursos formais (de 3,81% para 4,90%).

Os grupos despesas diversas (de 0,92% para 1,12%), habitação (de 0,22% para 0,24%) e saúde e cuidados pessoais (de 0,50% para 0,52%) também contribuíram para a aceleração do IPC-S. Em cada um desses grupos, as principais influências partiram de mensalidade para TV por assinatura (de 1,79% para 2,71%), tarifa de gás encanado (de 5,55% para 8,15%) e artigos de higiene e cuidado pessoal (de 0,53% para 0,64%).

O que subiu menos

Na contramão, os preços dos grupos alimentação (de 1,69% para 1,64%) e vestuário (de 0,38% para 0,36%) desaceleraram. As principais influências partiram de carnes bovinas (de 0,34% para -0,66%) e calçados (de 0,44% para 0,42%).  

veja também