MENU

Um bebê a caminho? Comece, desde já, a planejar seu orçamento

Um bebê a caminho? Comece, desde já, a planejar seu orçamento

Atualizado: Domingo, 27 Dezembro de 2009 as 12

Planejado ou não, deu positivo! Começa agora uma nova etapa na sua vida em alguns aspectos, e também no financeiro. Afinal, será sua responsabilidade proporcionar o que for necessário ao bebê que está chegando, e, com o tempo, perceberá que isso implica em uma guinada e tanto no seu orçamento.

Planeje-se!

Há vários itens a verificar antes da chegada do seu filho, e quanto antes você começar, melhor. Pense no seu plano de saúde, por exemplo: quanto você paga hoje por ele e qual seria a mudança neste valor com o nascimento do bebê? O convênio aceita a inclusão de dependentes ou os planos são individuais?

Outro ponto importante: verifique os prazos de carência, se o casal já tem direito à cobertura de parto, internação e exames específicos. Confira ainda se a criança estará inclusa nestes prazos ou se estará sujeita a novas regras.

Tem lugar para mais um?

Pense nas condições de sua casa. Talvez seja indicada a troca por um local maior, que ofereça mais espaço para a chegada do ''herdeiro''. Para quem pensa que se trata de puro detalhe, um lembrete: o bebê precisa de alguns itens literalmente ''espaçosos'', como carrinho de passeio, bebê-conforto, banheira e trocador, por exemplo.

Além do espaço para guardá-los, você precisará se organizar para adquirir estes produtos, o que significa despesa extra! Portanto, mesmo com a ajuda dos avós, padrinhos e tios, que não deve ser pouca, você terá de arcar com algumas alterações no seu bolso.

E depois?

Você não precisa se planejar tanto ao ponto de já fazer a reserva de matrícula do seu filho, ainda bebê, em uma escola de ensino fundamental. Mas existem questões a serem discutidas pelo casal: a mãe continuará trabalhando? Quem ficará com a criança? É interessante deixá-la numa creche?

Vale lembrar que algumas mulheres, por conta da maternidade, vêem-se obrigadas a deixar o emprego em razão do nascimento do filho, já que o custo de deixá-lo com alguém não é compatível com o salário atual.

Neste caso, um ponto a lembrar diz respeito à dificuldade de retornar ao mercado de trabalho mais tarde. Sendo assim, cabe aos futuros pais uma boa análise da situação atual e discussão de prioridades e até mesmo das metas individuais.

Outros custos

Alguém desavisado poderá achar que criar um bebê, no início, não representará muitos custos, já que dependerá apenas do leite materno e os gastos estarão mais relacionados à compra de fraldas.

Mas não é bem assim! Além dos pacotes e pacotes do produto, caso opte pelo descartável, são necessários remédios, vitaminas, vacinas e, em alguns casos, muito leite em pó.

Com a chegada do ''herdeiro'', esses e outros itens integrarão sua lista de compras e serão sua prioridade por um certo tempo. Portanto, organize-se para fazer dessa a fase mais feliz da sua vida. Boa sorte!

Por Waldeli Azevedo

veja também