MENU

Vale diz que investimento em 2011 deve ficar abaixo do previsto

Vale diz que investimento em 2011 deve ficar abaixo do previsto

Atualizado: Sexta-feira, 6 Maio de 2011 as 4:39

A mineradora Vale deverá investir em 2011 menos do que os US$ 24 bilhões previstos inicialmente devido a alguns fatores que estão retardando o avanço dos seus vários projetos no Brasil e no exterior, afirmaram nesta sexta-feira (6) executivos da companhia, em teleconferência com analistas e investidores sobre o resultado financeiro da empresa no primeiro trimestre.

"Estamos vendo que está muito difícil conseguir manter prazos em todos os projetos", disse José Carlos Martins, diretor diretor de Marketing, Vendas e Estratégia. Segundo ele, o volume total de investimentos pode ficar cerca de 4 bilhões de dólares abaixo do volume inicialmente projetado, de 24 bilhões de dólares.

"'Vai ficar mais para 20 (bilhões de dólares) do que 24 (bilhões de dólares)", acrescentou Martins.

Os diretores da companhia disseram que além da demora de licenciamentos ambientais há escassez de mão de obra altamente qualificada e falta de recursos como equipamentos e materiais, que dificultam a execução dos inúmeros projetos da empresa.

Na quinta-feira, a Vale divulgou que teve lucro líquido recorde de R$ 11,291 bilhões no primeiro trimestre de 2011.

Em respota a analistas, a empresa confirmou que o projeto de carvão de Moatize, em Moçambique, entrará em operação este ano até setembro, estendendo por um mês a entrada em operação que era prevista para agosto.

Já o projeto de níquel de Goro, na Nova Caledônia, que entrou em operação em meados do ano passado, foi citado pelos executivos da empresa como um que tem enfrentado desafios tecnológicos que não estavam previstos.

Demanda de minério

Sobre o mercado de seu principal produto, o minério de ferro, a mineradora disse que apenas a pressão inflacionária em alguns dos principais países compradores poderá esfriar a demanda.

Os executivos da Vale se mostraram otimistas com o mercado nos próximos meses e previram que os preços do minério de ferro no terceiro trimestre deverão ficar estáveis em relação ao segundo trimestre.

No segundo trimestre, a previsão do mercado era de um reajuste de 20% para o minério de ferro e a expectativa de alguns era de que o preço subisse ainda mais no terceiro trimestre. Mas a Vale vê uma acomodação dos preços após a definição dos valores para o segundo trimestre.

Apesar de voltar a citar o foco principal em crescimento orgânico, a Vale informou que segue estudando oportunidades de compras pontuais no mercado, a exemplo da oferta feita este ano pela sul-africana Metorex, e não descartou possíveis novas aquisições.

veja também