MENU

Varejo de veículos pesados prevê fechar o ano em alta

Varejo de veículos pesados prevê fechar o ano em alta

Atualizado: Quarta-feira, 12 Agosto de 2009 as 12

As vendas de caminhões e ônibus já começam a dar sinais de recuperação, tanto que a Vocal, maior rede de concessionárias da Volvo na América Latina, afirma que o resultado do semestre foi melhor que o esperado. A projeção deve superar as metas estabelecidas para este ano - que, mesmo com a crise, poderá ser o segundo melhor da história da rede em vendas. A Volcal também retomou as metas de expansão, com investimento previsto de R$ 32 milhões.

Depois de quedas nas vendas no primeiro semestre frente ao mesmo período do ano passado, empresas varejistas, distribuidoras e o setor de infraestrutura também já sinalizam melhora e voltam a fazer grandes encomendas para as concessionárias de veículos pesados. De acordo com Claúdio Zattar, diretor superintendente da Vocal, a superação das metas financeiras também foi possível devido a um projeto de redução de gastos implantado nos processos internos da rede, com a contratação de uma consultoria especializada, que possibilitou economia de 14% nos custos e deve possibilitar que a retomem grande plano de expansão.

Os investimentos em expansão devem consumir pelo menos R$ 32 milhões nos próximos três anos, para os quais devem usar recursos próprios e linhas de financiamento de bancos como o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

"O desempenho de agora reforça nossos projetos de crescimento. Devemos inaugurar mais uma unidade em Guarulhos (SP), além de concluir a ampliação das unidades da Baixada Santista, de Campinas (SP) e região do Grande ABC ano que vem.". Hoje, a rede conta com sete unidades no estado de São Paulo. Além dos planos para o ano que vem, está em vista a abertura de uma nova unidade em Limeira (SP), de 2010 e 2011.

O diretor afirma que projetava para o semestre uma queda de 25% no mercado interno em geral, mas que acabou por cair menos, 16%. A Vocal continua com expressivo market share nas categorias de caminhões pesados e semipesados, com 17% e 8,3% do mercado, respectivamente. Também foram vendidas 448 unidades de pesados e 188 de semipesados. "O ano de 2008 foi extraordinário e, apesar da queda, se compararmos ano a ano, 2009 está tendo um desempenho quase 10% melhor do que o de 2007, que também foi um ótimo ano, tanto que devemos ter o nosso segundo melhor ano", explica.

Zattar também reforça que já começam a receber grandes encomendas e pedidos de compra, que podem chegar até 250 caminhões. Ele afirma que suas vendas são voltadas para grandes frotistas e só sentiu uma queda pontual nas empresas exportadoras no começo do ano, outros segmentos continuaram crescendo como o de infraestrutura, e estão recebendo investimentos ligados ao Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). "Agora no final de julho e em agosto, o volume de vendas também está se acelerando, principalmente por parte de empresas de abastecimento no varejo, e empresas de combustíveis, entre outras", diz. Dessa forma, a meta é alcançar os R$ 530 milhões de faturamento em 2009, frente aos cerca de R$ 574 milhões de 2008.

Mercedes-Benz

A Rodobens Caminhões e Ônibus, que afirma ser a maior rede de distribuição da Mercedes-Benz do País, com 39 pontos-de-venda, confirma que o ano de 2008 foi excepcional e será impossível de ser batido, mas 2009 segue rumo a tornar-se o segundo melhor ano, com queda de 20% sobre 2008, mas com crescimento de 7% nas vendas sobre as de2007.

De acordo com Pedro Santos, diretor-geral da rede, foram vendidas 4.200 mil unidades em 2007 e 5.670 mil unidades em 2008, sendo a projeção para este ano de pelo menos 4.500 mil caminhões vendidos pela rede.

"A queda da venda de caminhões foi forte no primeiro trimestre, mas a partir de abril já tivemos recuperação. Não vamos atingir o volume do ano passado, que foi extraordinário, mas até a fábrica [Mercedes-Benz] já planeja aumentar a produção em 10%", diz o diretor.

Balanço

A Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) contabilizou 68.017 caminhões e ônibus vendidos de janeiro a julho deste ano, frente aos 84.494 de 2009 - queda de 19,50%. Porém, o mês de julho já mostra recuperação, com alta de 13,51% nas vendas frente a junho (11.785 unidades vendidas). A projeção para 2009 é fechar o ano com 153 mil unidades vendidas.

veja também