MENU

Vendas de importadoras oficiais de carros sobem 13,8% em novembro

Vendas de importadoras oficiais de carros sobem 13,8% em novembro

Atualizado: Quinta-feira, 15 Dezembro de 2011 as 11

Vendas de importados sobem, mas participação cai

(Foto: Priscila Dal Poggetto/G1) As vendas das empresas filiadas à Associação Brasileira das Empresas Importadoras de Veículos Automotores (Abeiva) subiram em novembro 13,8% na comparação com o resultado do mês de outubro. Ao todo, foram emplacadas 15.098 unidades contra 13.264 no mês anterior. A diferença é ainda maior ao comparar o resultado com novembro de 2010, quando foram emplacadas 9.617 unidades. A alta é de 57%.

No acumulado do ano, de janeiro a novembro, as importadoras registram expansão de 94%, já que foram licenciados 180.125 veículos neste ano, contra 92.873 em 2010. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (14).

Embora os resultados apontem crescimento, a Abeiva reclama que a participação de mercado caiu. Segundo o levantamento da entidade, a participação de mercado caiu de 5,03% em outubro, para 4,95% em novembro, já que o total do mercado brasileiro no mês neste ano foi de 305.252 unidades. Porém, no acumulado, o market share passou de 3,13% para 5,82%. Para a Abeiva, os dados de participação de mercado já são uma consequência do “momento conturbado ao setor de importação de veículos automotores, criado pelo Governo Federal, por meio do Decreto 7.567”.

A partir de sexta-feira (16) entra em vigor a lei que aumenta a cobrança de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) de veículos fabricados fora do Brasil ou de países do Mercosul e do México. Além disso, os produtos importados fora de acordos comerciais sofrem a cobrança da alíquota de 35% sobre o preço final do produto. De acordo com a Abeiva, o maior volume de importados vem das próprias montadoras instaladas no Brasil.

“O setor de importação oficial de veículos automotores é balizador do mercado brasileiro de automóveis quanto aos preços, tecnologia e design. Por isso, ainda esperamos uma manifestação de bom senso do Governo Federal”, diz o presidente da Abeiva, José Luiz Gandini. “Não podemos simplesmente ser alijados de concorrer e oferecer alternativas ao consumidor brasileiro, já que contamos com uma rede autorizada de 848 concessionárias, que empregam 35 mil trabalhadores, número superior ao quadro de funcionários de muitas montadoras”, acrescenta.

De acordo com Gandini, após vinte anos de atuação de várias marcas internacionais no Brasil, as empresas têm de assegurar programas de fornecimento de peças de reposição e de manutenção à atual frota circulante de carros importados.

A Abeiva é formada por Aston Martin, Audi, Bentley, BMW, Changan, Chery, Chrysler, Dodge, Effa Changhe, Effa Hafei, Ferrari, Hafei Motor, Haima, Jac Motors, Jaguar, Jeep, Jinbei Automobile, Kia Motors, Lamborghini, Land Rover, Lifan, Maserati, Mini, Porsche, SsangYong, Suzuki e Volvo.        

veja também