MENU

Vendas do varejo dos EUA sobem 0,3% em janeiro, diz departamento

Vendas do varejo dos EUA sobem 0,3% em janeiro, diz departamento

Atualizado: Terça-feira, 15 Fevereiro de 2011 as 4:25

As vendas no varejo dos Estados Unidos aumentaram 0,3% em janeiro ante dezembro, para US$ 381,57 bilhões, o sétimo crescimento mensal consecutivo, de acordo com dados divulgados nesta terça-feira (15) pelo Departamento de Comércio do país. O avanço representa um sinal de que os gastos dos consumidores podem continuar dando suporte à economia do país.

O aumento, no entanto, foi menor do que o esperado. Economistas esperavam que as vendas aumentassem 0,6% em janeiro. Na comparação com janeiro de 2010, as vendas aumentaram 7,8%. O dado de dezembro foi revisado para alta de 0,5%, ante leitura preliminar de 0,6 %.

Outro relatório, do Federal Reserve, mostrou que o índice do setor manufatureiro do estado de Nova York subiu de 11,92 para 15,43 em fevereiro, a melhor leitura desde junho

Excluindo o setor automotivo, as vendas no varejo subiram 0,3% em janeiro. Em dezembro, esse dado havia subido 0,3%. As vendas de automóveis e autopeças cresceram 0,5% em janeiro, depois de aumentarem 1,5% em dezembro. O valor das vendas em postos de gasolina subiu 1,4%.

As vendas em lojas de aparelhos eletrônicos e domésticos aumentaram 0,3%, as vendas em lojas de alimentos e bebidas subiram 1,3% e lojas de mercadorias em geral cresceram 0,8%. Varejistas que não possuem lojas físicas, como empresas de vendas na internet, cresceram 1,2% em janeiro.

Estoques empresariais

Em outro relatório, o Departamento de Comércio disse que os estoques empresariais nos EUA cresceram 0,8%, para US$ 1,44 trilhão, o maior total desde janeiro de 2009. Economistas previam uma alta de 0,7%, após o ganho de 0,4% em novembro.

Outro relatório, do Federal Reserve, mostrou que o índice do setor manufatureiro do estado de Nova York subiu de 11,92 para 15,43 em fevereiro, a melhor leitura desde junho. Economistas esperavam uma alta para 15,00. O relatório é o mais recente a apontar que a indústria manufatureira continua forte, embora o ciclo de reconstrução de estoques esteja começando a chegar ao fim.

Confiança do setor da construção

A confiança do setor de construção nos Estados Unidos permaneceu inalterada pelo quarto mês consecutivo em fevereiro. O indicador que mede esse sentimento ficou em 16 pontos, conforme a Associação Nacional de Construtores de Casas (NAHB, na sigla em inglês). Qualquer leitura abaixo da marca de 50 pontos significa um sentimento negativo a respeito desse mercado.

“Enquanto os construtores começam a ver mais interesse entre potenciais compradores de imóveis, ainda estamos lidando com uma conjunto de desafios que estão limitando nossa habilidade de vender”, destacou o presidente da NAHB, Bob Jones.

“Não há ainda um ambiente propício para concessão de crédito, o que dificulta ainda mais obter financiamento para viabilizar novos e existentes projetos. E a maioria não vê melhoras nessa situação tão cedo”, concluiu.

Bob Jones destacou, no entanto, que há algumas construtoras que disseram sentem uma pequena fagulha de otimismo começando a emergir no mercado.

*Com informações da Agência Estado, Reuters e Valor Online

veja também