MENU

Volks tenta atrair fornecedores asiáticos e europeus

Volks tenta atrair fornecedores asiáticos e europeus

Atualizado: Segunda-feira, 21 Junho de 2010 as 12:50

A direção da Volkswagen negocia com empresas da Europa e da Ásia a instalação de unidades no Brasil para substituir alguns fornecedores locais que, segundo a montadora, apresentam problemas de qualidade, atraso nas entregas e "estão sempre pressionando por aumento de preços". A informação é do chefe mundial de compras da companhia, Garcia Sanz, que também dirige as operações do grupo na América do Sul.

Ele veio ao Brasil justamente para participar, ontem, da entrega do prêmio anual de melhor fornecedor da empresa e reclamou "de um grupo pequeno" que não está investindo para acompanhar o crescimento da montadora. A Volkswagen pretende atingir em 2014 produção de 1 milhão de veículos em suas três fábricas brasileiras e vai investir R$ 6,2 bilhões no País.

Segundo Sanz, essa situação, que leva o grupo a um elevado índice de retrabalho e de paradas constantes na linha de montagem por falta de peças, forçará a empresa a "trazer novos fornecedores ao Brasil". Alexander Seitz, vice-presidente de compras da Volkswagen na América do Sul, disse que o crescimento da economia brasileira tem atraído o interesse de fornecedores externos que ainda não estão no País.

"A instalação de unidades locais deve ocorrer num prazo de um ano a 18 meses", disse Seitz. Ele não adianta nomes, mas cita que a empresa negocia com novos fornecedores de plásticos, faróis e de tecnologia eletrônica de motores. A Volkswagen trabalha hoje com cerca de 500 fornecedores, dos quais dois terços são globais e os demais são brasileiros. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

veja também