IBGE reconhece que podem faltar recenseadores em São Paulo

IBGE reconhece que podem faltar recenseadores em São Paulo

Atualizado: Quinta-feira, 26 Agosto de 2010 as 11:25

O coordenador operacional do Censo em São Paulo, Aparecido Cunha, reconheceu, em reportagem da Agência Brasil, que, mesmo com a abertura de novo processo seletivo para 2.006 vagas de recenseador para coleta de dados do Censo 2010, podem faltar profissionais em alguns bairros nobres da cidade de São Paulo.

No primeiro processo seletivo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que ocorreu no primeiro semestre deste ano para o total de 191.972 vagas, a cidade de São Paulo deixou de preencher 1.492 vagas, segundo o órgão.

Foi aberto novo processo seletivo na semana passada para preencher 2.006 vagas que ficaram ociosas nos estados de Goiás, Paraná, Rio de Janeiro, Santa Catarina e São Paulo.

As inscrições para o novo processo seletivo terminam nesta quarta-feira (25), mas ainda há mais vagas do que candidatos para atuar em bairros nobres como o Morumbi, que precisa preencher 116 vagas. Itaim Bibi, com 32 vagas, e Butantã/Vila Sônia, com 74, também podem enfrentar dificuldades pela falta de recenseadores, segundo o IBGE.

Resultado sai na sexta

De acordo com o IBGE, o resultado do número de aprovados nessa segunda etapa de seleção sairá na sexta-feira (27), quando será possível saber se realmente faltarão candidatos para alguns bairros de São Paulo.

De acordo com a Agência Brasil, Cunha acredita que a baixa procura nessas áreas se deve ao mercado de trabalho aquecido, que torna trabalhos temporários como o de recenseador menos atraentes, além da crença de que o trabalho de recenseador é mais difícil em bairros mais nobres.

Cunha disse que, caso as vagas na cidade de São Paulo não sejam preenchidas, o IBGE deslocará recenseadores de outras áreas para não prejudicar o cronograma do Censo. “Vamos deslocar recenseadores e vamos oferecer uma ajuda para cobrir custos de deslocamento. O cronograma vai ser cumprido. Nós vamos recrutar o número necessário e cobriremos as necessidades nessas áreas quando o número não for suficiente”, disse à Agência Brasil.

A assessoria de imprensa do IBGE informou que, caso ocorra a falta de recenseadores, estudará alternativas para resolver o problema. Uma possibilidade poderá ser a transferência de alguns aprovados para outras áreas.

Postado por: Thatiane de Souza

veja também