MENU

Nova fábrica de guindastes deve gerar até 1,4 mil postos até 2017 e reforçar setor metal-mecânico no RS

Fábrica de guindastes da empresa deve gerar 1,4 mil empregos

Atualizado: Segunda-feira, 2 Abril de 2012 as 8:43

Foi inaugurada, neste sábado, a fábrica de guindastes da empresa norte-americana Manitowoc em Passo Fundo. Primeira unidade industrial da empresa na América Latina, a fábrica recebeu um investimento de R$ 75 milhões e deverá gerar até 1,4 mil empregos diretos e indiretos até 2017.

A cerimônia teve a presença do governador Tarso Genro, do presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia, do diretor- presidente Manitowoc Brasil, Mauro Nunes e do presidente mundial da empresa, Glen Tellock. Antes de descerrar a fita inaugural, os convidados visitaram as instalações da fábrica.

Na largada, a unidade terá 55 funcionários, 95% deles gaúchos. Somente neste ano, serão contratados mais 40 trabalhadores. O reforço na mão de obra garantirá a produção de 44 guindastes em 2012. A montagem começa em 16 de abril e as primeiras unidades serão entregues em junho. Algumas unidades já estão comercializadas com um empresa brasileira, cujo nome não foi divulgado.

Em Passo Fundo, a empresa produzirá neste ano o guindaste RT 540, adaptado a terrenos acidentados e capaz de içar cargas de 40 a 90 toneladas. Em média, os guindastes custarão entre R$ 500 e R$ 2,3 milhões. Em abril de 2013, começará a ser produzida uma grua com capacidade de 80 a 120 toneladas. Hoje, o guindaste é importado dos EUA e a grua, da China.

— Queremos que a fábrica tenha capacidade, no futuro, de produzir um guindaste por dia. Entre os fatores que pesaram para a escolha de Passo Fundo, estão os incentivos do governo, a força do setor metal-mecânico da região e a capacidade de formação de mão de obra — afirmou Tellock.

Técnicos virão dos Estados Unidos nas próximas semanas para auxiliar e capacitar os funcionários. A Manitowoc também busca firmar parcerias com fornecedores de qualidade para nacionalizar 70% da produção em três anos. Em 2013, a meta é exportar até 20% dos 100 guindastes previstos. 

— O Estado querm empresas como essa, que se integram e fortalecem a base produtiva e a indústria gaúcha — afirmou o governador Tarso Genro.

veja também