MENU

A uma vitória da vaga nas oitavas, santistas creditam virada a Muricy

A uma vitória da vaga nas oitavas, santistas creditam virada a Muricy

Atualizado: Terça-feira, 19 Abril de 2011 as 10:06

Adilson Barros Santos, SP imprimir

Muricy Ramalho deu confiança ao time, afirmam jogadores (Foto: Ricardo Saibun /Santos F.C.)

  Após viver momentos conturbados, com sério risco de ser eliminado ainda na primeira fase da Taça Libertadores, o Santos voltou a depender das próprias forças para seguir vivo na competição com o triunfo por 2 a 1 sobre o Cerro Porteño-PAR, quinta-feira passada, no Paraguai. Agora, joga por uma vitória sobre o Deportivo Táchira-VEN, já eliminado, quarta-feira que vem, às 19h30m (horário de Brasília), no Pacaembu, para avançar às oitavas de final. Os jogadores santistas asseguram que a chegada do técnico Muricy Ramalho contribuiu muito para essa virada.

De um time desacreditado e sem confiança, o Santos hoje já fala até em ser campeão da Libertadores. Após o jogo contra o Cerro, Muricy reiterou o que já havia dito quando ainda estava no Fluminense.

- Se passar pelo Táchira, o Santos entra com força para disputar o título.

Os jogadores assimilaram o discurso do chefe.

- Nosso time pode chegar à final e ser campeão. Qualidade para isso é o que não falta. Temos atletas de muita qualidade, que podem decidir num lance. Talvez ainda falte um pouco de maturidade em alguns momentos, mas a chegada do Muricy está sendo importante para isso. Ele trabalha muito e orienta os jogadores a manterem sempre a calma - afirma o lateral-direito Jonathan.     Muricy ficou espantado com o descontrole emocional do time no confronto contra o Colo Colo-CHI, no último dia 6, na Vila, jogo que acompanhou de um camarote no estádio. A equipe vencia por 3 a 0. De repente, caiu na catimba dos chilenos, perdeu jogadores expulsos e ainda viu o adversário diminuir o placar. O jogo terminou 3 a 2. Por isso, passa a maior parte do tempo pedindo tranquilidade e passando confiança aos alvinegros. Contra o Cerro, a equipe já foi bem mais centrada.

- O Santos não é de briga. É um time leve, que joga futebol. Se for brigar, vai perder. É isso o que tenho falado para o pessoal - comenta o trenador.

Para o volante Arouca, a equipe já mostrou que entendeu bem o recado do chefe.

- Contra o Cerro, o time jogou muito bem, manteve a posse de bola, controlou o jogo e conseguiu um grande resultado. O Muricy é experiente, acostumado a Libertadores e tem passado coisas importantes pra gente.      

veja também