MENU

Abel aceita punição mas questiona suspensão de Rafael Moura

Abel aceita punição mas questiona suspensão de Rafael Moura

Atualizado: Sexta-feira, 2 Dezembro de 2011 as 2:36

Abel reclama de punição a Rafael Moura

(Foto: Dhavid Normando / Photocamera) Abel Braga foi suspenso por cinco jogos pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) e não poderá comandar o Fluminense no clássico com o Botafogo, domingo, às 17h (de Brasília), em Volta Redonda, pela última rodada do Campeonato Brasileiro. Ele reconheceu o erro cometido na derrota por 3 a 2 para o Flamengo, mas questionou a punição ao atacante Rafael Moura, que sofreu uma pena de 10 jogos por cuspir em Renato.

Contra o Botafogo, Abel será substituído por seu auxiliar Leomir, que chegou a comandar o Fluminense em alguns jogos nesta temporada, antes de o treinador ser liberado pelo Al Jazeera, dos Emirados Árabes. No clássico, o time precisa de um ponto para assegurar vaga diretamente na fase de grupos da Taça Libertadores.

- Não tenho o que falar. Estou pagando por uma coisa que fiz de errado. Paciência, vou cumprir meu jogo. Vamos ver se eu aprendo. Estou com 60 anos e venho me comportando nos últimos jogos e continuará sendo assim. Mas com o Rafael foi exagerada. Ele foi agredido e cuspiu para mostrar que ainda sangrava, mas não entenderam assim – comentou Abel.

No clássico com o Flamengo, o técnico do Fluminense teve uma reação destemperada depois da marcação de uma falta que resultou no empate e, em seguida, numa jogada em que questionou a decisão do árbitro Felipe Gomes da Silva, no contra-ataque da virada por 3 a 2. Abel se recusou a sair do campo mesmo após a sua expulsão e aproximação de alguns policiais. Agora, sai em defesa da arbitragem.

- São lances muito difíceis para o árbitro. Qualquer jogada polêmica é analisada por 15 câmeras de dentro de uma cabine. Os critérios é que são estranhos. Um jogador derruba, pisa e leva um jogo – disse Abel, em referência ao atacante Emerson, do Corinthians, suspenso por um jogo, depois de pisar em Daniel, do Avaí.

Apesar de ficar fora do banco de reservas, Abel confia no desempenho de Leomir. Mas já avisou que estará em contato durante todo o tempo, por rádio, para ajudar a comandar o time na última partida do Campeonato Brasileiro.

- Desta vez, eu vou ser o chato. A diferença é que vocês vão ver um cara mais calmo e tranquilo à beira do campo – brincou Abel, que não vê a hora de tirar férias. – Estou no limite. Há dias em que tento levantar da cama e não consigo. Quando acabar o campeonato, já viajo com a família para sair daqui um pouco.          

veja também