MENU

Adriano faz o dele e dá a vitória ao Fla sobre o Vasco

Adriano faz o dele e dá a vitória ao Fla sobre o Vasco

Atualizado: Segunda-feira, 15 Março de 2010 as 12

Dois pênaltis para o Vasco. Dodô na bola. E Bruno defendeu ambos. O atacante vascaíno saiu de campo vaiado e, em má fase, com um futuro nada animador na Colina. Mas o clássico para o outro camisa 10 teve um gosto diferente, de reconciliação. Adriano não jogou bem, tocou pouco na bola. Mas mostrou para o cruzmaltino como se faz. O Imperador não desperdiçou o pênalti mal marcado pelo árbitro Péricles Bassols a favor do Flamengo. E garantiu a vitória do Rubro-Negro por 1 a 0, neste domingo, no Maracanã, pela quarta rodada da Taça Rio, o segundo turno do Campeonato Carioca.

Na comemoração, Adriano mostrou uma camisa com a mensagem "Que Deus perdoe essas pessoas ruins". Foi o sétimo gol do Imperador na temporada. Há 28 partidas não ocorre um 0 a 0 no clássico entre Vasco e Flamengo.

O Flamengo assumiu novamente a liderança do Grupo A com 12 pontos e 100% de aproveitamento. Já o Vasco caiu para o segundo lugar no Grupo B com nove pontos. O Botafogo lidera com vantagem no saldo de gols (quatro contra três).

Na próxima rodada, o Vasco encara o Olaria, no sábado. Antes disso, enfrenta o ASA, em Maceió, no jogo de ida da segunda fase da Copa do Brasil. O Flamengo viaja para Santiago, onde encara o Universidad de Chile, pela Libertadores. Depois, faz o clássico contra o Botafogo, no domingo, no Maracanã.

Muitas chances, nenhum gol no primeiro tempo  

Os times entraram em campo com duas faixas de protesto contra a emenda Ibsen, que altera regras da distribuição de royalties do petróleo e diminui a receita do estado do Rio de Janeiro em cerca de R$ 7 bilhões por ano. Elas convocavam a população para uma caminhada, no Centro do Rio, na próxima quarta-feira.

Apesar do campo pesado por causa do temporal que castigou o Rio de Janeiro no fim da tarde deste domingo, o primeiro tempo foi excelente, com chances para os dois lados. Faltou apenas o gol. Oportunidades não faltaram, mas os goleiros Bruno e Fernando Prass estavam inspirados.

A primeira chance foi rubro-negra. Falta na intermediária. Fabrício tomou uma grande distância. Todo mundo esperava uma bomba, mas saiu um peteleco. No meio do caminho estava, porém, Vinícius Pacheco. O meia dominou livre na área e chutou na saída do goleiro Fernando Prass. O goleiro vascaíno fez uma grande defesa e evitou o gol. Na sobra Léo Moura pegou de primeira e bateu para fora.

O Vasco logo deu a resposta. Após linda tabela, Dodô recebeu na área, deu um drible de letra em Álvaro e chutou. A bola, que tinha endereço certo, bateu na defesa e foi para fora. Em seguida, Rafael Carioca soltou uma bomba da intermediária. A bola ia entrar no ângulo direito, mas Bruno pulou e espalmou com a mão trocada para escanteio. Tudo isso com apenas seis minutos de jogo. 

Apesar do campo molhado, a bola rolava com facilidade. Juan apareceu bem pela esquerda e tocou rasteiro na saída de Fernando Prass. O goleiro espalmou e a

bola iria sobrar limpa para Adriano só escorar para o fundo da rede. Mas o zagueiro Titi, de carrinho, conseguiu evitar o gol com o bico da chuteira.

O jogo era aberto. Aos 17 minutos, Philippe Coutinho perdeu uma chance incrivel. Ele recebeu em condição legal pela direita, entrou na área e chutou

rasteiro. Bruno, com as pontas do dedo, salvou o Flamengo e espalmou para fora.

O tempo técnico, que era justificável no calor, ficou meio sem sentido agora. E esfriou muito a partida. Os times voltaram em um ritmo mais lento. Aos 28, Adriano deu um passe primoroso para Vagner Love. O atacante dominou a bola na área com maestria, deixou o zagueiro Gustavo no chão e chutou rasteiro. Fernando Prass pulou no canto direito e defendeu.

Aos 35 minutos, Philippe Coutinho foi derrubado por Willians dentro da área. Pênalti indiscutível do camisa 8 do Flamengo, que ainda pediu desculpas ao vascaíno depois com um singelo beijo no rosto. Nenhum rubro-negro teve coragem de reclamar com o árbitro. Dodô, que não passa por uma boa fase, bateu fraco no canto direito de Bruno, que pulou certo e defendeu sem direito a rebote (assista ao vídeo acima).

Após a cobrança, mais um gesto de carinho: Jeferson consolou Dodô com um beijo. Foi o segundo pênalti que o artilheiro cruzmaltino perdeu nesta temporada. No primeiro turno, Dodô também desperdiçou uma cobrança contra o Resende.

Após o pênalti, Andrade inverteu a marcação em cima de Philippe Coutinho. Willians, que recebeu cartão amarelo no lance do pênalti, deixou a função, que passou para Toró. Aos 38 minutos, Léo Moura arrancou pela direita, entrou na área e tentou o drible em cima de Márcio Careca. O rubro-negro caiu e pediu a marcação do pênalti. Mas nada aconteceu e o juiz deixou o jogo seguir.

Aos 46 minutos, Philippe Coutinho dominou no peito, deu um drible seco em Fabrício e chutou. Bruno, com ótima atuação, espalmou para escanteio. E o primeiro tempo terminou 0 a 0.

Adriano faz o gol rubro-negro em pênalti que não existiu

Flamengo e Vasco voltaram sem mudanças para o segundo tempo. Mas a chuva aumentou consideravelmente. Apesar disso, o clássico continou excelente. Aos quatro minutos, em um contra-ataque, Vinícius Pacheco arrancou com a bola e tocou na saída de Fernando Prass, que defendeu com os pés. Mas o árbitro Péricles Bassols marcou, de forma equivocada, pênalti no choque do goleiro vascaíno com o meia rubro-negro. Fernando Prass ficou inconformado com a marcação. Mas não teve jeito.

Adriano foi para a cobrança. E ao contrário de Dodô bateu bem. Goleiro para um lado, bola entrando carinhosamente no outro. Flamengo 1 a 0. Na comemoração, o Imperador tirou a camisa e mostrou uma mensagem: "Que Deus perdoe essas pessoas ruins". O atacante recebeu cartão amarelo.

O Vasco passou a tentar pressionar. Dodô chutou rasteiro da entrada da área e Bruno espalmou para fora. O jogo estava eletrizante. O Flamengo, com Juan, quase fez o segundo. Mas o chute bateu no travessão.

Aos 21 minutos, Jeferson entra na área e cruza. A bola bate na mão de Álvaro. O árbitro marcou mais um pênalti. Vagner Mancini mandou a ordem. Jeferson deveria bater. Mas Dodô pegou a bola e pediu para cobrar mesmo com as vaias da torcida. E o atacante novamente mostrou muito o lado e bateu na direita de Bruno, que pulou e novamente defendeu.

Vagner Mancini ficou imóvel na linha técnica, sem acreditar. A torcida cruzmaltina passou a insultar o atacante cruzmaltino. E os rubro-negros gritavam o nome do goleiro "Bruno".

Após o segundo pênalti perdido por Dodô, o Vasco desanimou e diminuiu o ritmo. O Flamengo, inteligente, passou a controlar mais a bola. E o jogo terminou com a torcida rubro-negra cantando "o Imperador voltou". Após a partida, o zagueiro Titi, do Vasco, foi expulso após reclamar com a arbitragem.

veja também