MENU

Adriano fica atônito com o título, mas não garante permanência no Fla em 2010

Adriano fica atônito com o título, mas não garante permanência no Fla em 2010

Atualizado: Segunda-feira, 7 Dezembro de 2009 as 12

Adriano liderou a volta olímpica do Flamengo no Maracanã. Sem camisa, o Imperador comandou a torcida e vestiu a faixa de hexacampeão brasileiro no gramado após a vitória por 2 a 1 sobre o Grêmio. No vestiário, ainda sem "crer" no título, o camisa 10 admitiu que há possibilidade de sair do clube em 2010.

''Proposta eu tenho. São muitas. Não estou aqui para mentir porque depois todo mundo descobre. O que importa hoje é a minha felicidade. O que fizer vai ser muito bem pensado. Espero que minha resposta seja para ficar. Mas se não for, com certeza, vou deixar meu afeto e meu coração. Vou conversar com minha família e meus amigos. Para mim, pode ter certeza que a felicidade está em primeiro lugar e não o dinheiro''.

O contrato dele termina no meio do próximo ano, mas permite que ele saia em janeiro se assim decidir.

''Adriano tem contrato até maio de 2010 e espero que não tenha problema para que ele continue no Flamengo - disse o vice-presidente de futebol Marcos Braz''.

A diretoria aposta justamente na felicidade e nos privilégios do jogador para que ele continue no Rio. Antes de decidir o futuro, o Imperador quer "curtir o momento" e entender exatamente o significado do hexacampeonato.

''Sentimento de felicidade por ter cumprido mais uma vez o que queria na vida. Ainda não acredito que isso está acontecendo. Primeiro título brasileiro, ainda mais pelo Flamengo, que é a minha casa'', declarou.

Com 19 gols, o atacante terminou na primeira colocação da artilharia ao lado de Diego Tardelli. Desde 1982, com Zico, o Flamengo não tinha um goleador no Campeonato Brasileiro.

Depois de praticamente abandonar a carreira em abril, o Imperador encontrou na Gávea o impulso que necessitava para se reerguer. Ele fecha 2009 sorridente e consciente de que deu a volta por cima.

''Voltei ao Brasil muito mal, estava triste. Fiquei parado 40 dias para tentar voltar a sorrir. Tudo que fiz valeu a pena. Esse título é muito importante. Para mim e para minha família, que sofreu comigo. Alguns não acreditaram mais em mim'', afirmou Adriano.

Por Eduardo Peixoto

veja também