MENU

Alecsandro desencanta, e Vasco vence o Furacão de virada: 2 a 1

Alecsandro desencanta, e Vasco vence o Furacão de virada: 2 a 1

Atualizado: Domingo, 17 Julho de 2011 as 8:49

Depois de sete jogos sem marcar, Alecsandro desencantou. O camisa 9 fez os gols da virada do Vasco por 2 a 1 sobre o Atlético-PR, que segue seu calvário no Brasileiro. A careta do atacante, repetindo comemoração de seu pai, Lela, resumiu a alegria de um time que segue em alta na temporada, contra outro que sofre na lanterna da competição. Apesar do espírito de luta constante, Renato Gaúcho sabe que terá muito trabalho pela frente no comando da equipe.

    Oportunista no primeiro e bastante técnico no segundo gol, Alecsandro, que em função de dores musculares chegou a ser dúvida para a partida, marcou seus primeiros gols no Brasileiro e saiu exaltado pelos torcedores.

O Vasco volta a campo no próximo domingo, às 16h (de Brasília), contra o Atlético-MG, no Ipatingão. Já o Atlético-PR vai enfrentar outro carioca, o Botafogo, no próximo sábado, às 18h30m (de Brasília), na Arena da Baixada.

Furacão sai na frente, mas não consegue se impor

Depois de um apagão que atrasou o início do jogo em 15 minutos, o Vasco iniciou a partida pressionando bastante o Atlético-PR. E o caminho mais escolhido foi o lado direito do campo. Sem Fagner, que cumpriu suspensão em função do terceiro cartão amarelo, Allan foi escalado na lateral direita. Como estava junto com o grupo da Seleção sub-20, Allan não realizou nenhum treino esta semana. Mas o entrosamento adquirido durante os jogos da vitoriosa campanha da Copa do Brasil não se perdeu, e as chances foram criadas.     Allan comemora o primeiro gol: lateral começou a jogada pela direita (Foto: Cezar Loureiro / Agência o Globo)     Só que em seguida entrou em ação o velho clichê do futebol: "quem não faz leva". Em contra-ataque rápido, Madson lançou Paulinho pela esquerda. O goleiro Fernando Prass se precipitou e saiu errado. Com isso, o lateral rolou para Kleberson completar para o gol vazio. Parecia que os ventos tinham finalmente mudado de lado para o Furacão. Mas o fato não desanimou nem o Vasco e nem a torcida.

O comportamento dos torcedores, por sinal, foi um capítulo à parte. Além do técnico Renato Gaúcho, o Atlético-PR estava em campo com outros ex-vascaínos como Wagner Diniz e Madson. O apoiador foi vaiado sempre que tocava na bola, assim como o treinador. Mas, marrento como sempre, Renato nem se importou com os "elogios" vindos da arquibancada.

Quando o Vasco partia para o ataque, com a bola sempre passando pelos pés de Juninho Pernambucano e Eder Luis, o apoio era total. Mas, assim como no início, a pressão e a posse de bola não se traduziam em gols. Nem mesmo a cobrança de falta sempre venenosa do Reizinho dava certo desta vez. Só que, quando parecia que os jogadores do Vasco iriam para o intervalo com a cabeça quente, Allan puxou jogada pela direita e rolou para Eder Luis, que girou bonito e chutou. O goleiro Renan Rocha espalmou nos pés de Alecsandro, que não perdoou: 1 a 1.

Pressão dos dois lados, mas o Vasco vira  

                                      O Vasco voltou para o segundo tempo sem Dedé, que ainda sentia dores por causa de um choque de cabeça com  Manoel. Apesar do desfalque na defesa, os donos da casa continuaram melhores. Novamente explorando o lado direito do campo, o Vasco levou perigo em chutes de Eder Luis e Juninho Pernambucano. Para compensar, o Atlético-PR respondeu com Madson. O baixinho deu furada inacreditável em lance que poderia ter sido o segundo gol do Furacão.

Para tentar dar nova dinâmica ao meio-campo do Vasco e aumentar o poderio ofensivo, o técnico Ricardo Gomes sacou Bernardo e lançou Diego Souza. O camisa 10 entrou com vontade e chegou a arriscar um chute com perigo. No entanto, o Vasco continuava dependente das arrancadas de Eder Luis, o que provava que a criação pelo meio estava deficiente.

Já o Atlético, sempre procurando os pés de Madson, criou dois lances de ataque muito perigosos. Um deles se iniciou após falha grotesca do zagueiro Douglas. Não fosse uma defesa milagrosa de Fernando Prass, o Furacão teria ficado na frente do placar mais uma vez.

Mas aí, novamente o clichê entrou em campo, só que desta vez para o lado do Vasco. Em nova jogada de Eder Luis pela direita, o time carioca chegou ao segundo gol. O camisa 7 cruzou na medida para Alecsandro se antecipar ao zagueiro Manoel e testar para o barbante. O gol saiu justamente no momento em que a torcida pedia a entrada de Elton.

No fim, o Vasco apenas administrou o resultado e comemorou a segunda vitória consecutiva em São Januário.          

veja também