MENU

Alecsandro revê velho amigo do pai e mantém suspense sobre a careta

Alecsandro revê velho amigo do pai e mantém suspense sobre a careta

Atualizado: Terça-feira, 7 Junho de 2011 as 10

Ex-goleiro Jairo revê o amigo Alecsandro

(Foto: Rafael Cavalieri / Globoesporte.com)     Os jogadores do Vasco estavam em campo para treinar. Do lado de fora, torcedores empolgados. Em meio a eles, um se destacava. Era Jairo. Mas o inusitado é que o ex-goleiro é um dos principais ídolos do Coritiba, rival do clube na luta pelo título inédito da Copa do Brasil, na próxima quarta-feira, às 21h50m, no Couto Pereira. Com 456 jogos pelo Coxa, Jairo participou das principais conquistas do clube, entre elas o Brasileiro de 1985. Apesar de ter assumido a torcida pelo ex-clube, o hoje professor de escolinhas de futebol foi ao treino para acompanhar dois amigos vascaínos e rever o filho de um grande amigo seu: Alecsandro.

Jairo jogou ao lado de Lela, pai do atacante vascaíno e também um dos grandes ídolos do Coxa. Na época em que foram companheiros, Alecsandro tinha cinco anos e costumava visitar os treinamentos e entrar em campo em dia de jogo ou no colo do pai ou, em outras oportunidades, no colo do próprio Jairo. As lembranças vieram na cabeça ao rever o amigo da família.

- Conversei um pouco com o Jairo. Ele me carregou no colo. Já tive a oportunidade de jogar com atletas que me pegaram no colo. Acho que estou ficando velho (risos). Tenho fotos em casa... Eu e meu irmão (Richarlyson) íamos aos treinos do Coritiba e o Jairo estava lá, era o goleiro. Lembro bastante - afirmou Alecsandro.

Jairo compartilha as memórias.

- É realmente muito legal ver o Alecsandro hoje brilhando nos gramados. Ele entrou no meu colo algumas vezes, era bem pequeno. E hoje está aí. Torço pelo seu sucesso, mas pelas minhas raízes históricas espero que o Coritiba saia campeão - afirmou.

Em meio ao papo, um assunto que deu o que falar na última semana voltou a ser discutido: a careta na hora de comemorar um gol. Jairo viu de sua meta Lela comemorar a maioria dos seus gols desta maneira. Agora coube a Alecsandro repetir o gesto do pai. Ele voltou a dizer que não sabe como irá comemorar caso marque novamente contra o Coritiba, mas aproveitou para provocar o próprio pai.

- A careta agora vai ser suspense. Deu muito ibope e eu não sou muito de polêmica. Fiquei meio assustado. Até brinquei com meu pai que nos 20 anos de carreira dele não teve tanto ibope quanto nesta semana. Vamos esperar. Quem sabe - disse Alecsandro, repleto de mistério.

Prass também conversa e recebe lições

Não foi só Alecsandro quem curtiu a visita do ex-goleiro. Fernando Prass passou um bom tempo conversando com Jairo. Dele ouviu histórias interessantes sendo que uma pode servir muito bem de exemplo. Uma delas não traz boas recordações. Atuando pelo Corinthians, Jairo sofreu cinco gols do então jogador do Vasco, Roberto Dinamite na goleada por 5 a 2 que marcou a verdadeira reestreia do atual presidente do clube diante de mais de cem mil torcedores no Maracanã após passagem frustrada pelo Barcelona.     Fernando Prass conversou com o ex-goleiro do Coxa (Foto: Rafael Cavalieri / GLOBOESPORTE.COM)       Jairo se recorda que o jogo foi completamente atípico. O Corinthians havia passado alguns dias sem treinar em função da conquista do Campeonato Paulista. Apesar da goleada, foi o Timão quem abriu o placar. Mas o autor do gol já deixou o clima de anormalidade no ar: Caçapa, que raramente marcava. Logo depois começou o show de Dinamite. Mas a derrota não abalou o ex-goleiro e foi essa a lição que ele passou para Prass, que sofreu cinco gols para o Coritiba no último domingo.

- Ele não vai se abalar: é outro jogo, outro time, outro espírito e outra competição. Eu mesmo já sofri cinco gols em outras oportunidades. Vida de goleiro é assim. Mas aquela do Dinamite foi realmente marcante. Ele jogou m uito e nós estávamos despreparados para aquele jogo - explicou.        

veja também