MENU

Além da questão física, Dagol não encarou o Bota porque falou demais

Além da questão física, Dagol não encarou o Bota porque falou demais

Atualizado: Quinta-feira, 30 Junho de 2011 as 9:39

 Se não bastassem o excesso de desfalques e o fraco futebol apresentado pela equipe nas últimas duas partidas (derrotas para Corinthians e Botafogo), o técnico Paulo César Carpegiani tem uma crise interna para administrar dentro do São Paulo. As declarações feitas pelo atacante Dagoberto após a goleada sofrida para o rival , no último domingo, não repercutiram bem dentro do elenco. Tanto que o camisa 25 foi retirado da partida contra os cariocas, na última quarta-feira, no Morumbi não só pela questão física (o jogador ficou duas noites sem dormir por causa do nascimento do filho), mas também para que os ânimos fossem controlados.

Dagoberto voltará aos treinos no Tricolor na tarde

desta quinta-feira (Foto: Luiz Pires / VIPCOMM)

  Carpegiani deixou claro que não gostou do que Dagoberto falou. Disse que as afirmações deixaram os companheiros em uma situação difícil, principalmente em virtude da derrota ter sido para um dos principais rivais.

- Acho que foi uma colocação muito infeliz do Dagoberto. Como treinador, eu preciso agir para que incidentes como esse não tenham repercussão. As críticas não foram bem recebidas pelo grupo. Por isso, além da questão física que realmente atrapalhava, acho que ele tinha de ficar fora para que as coisas, de um jeito ou de outro, pudessem se ajeitar. Na próxima partida, ele estará de volta – afirmou Carpegiani, referindo-se ao duelo contra o Flamengo, marcado para a próxima quarta-feira, no Engenhão.

Da mesma maneira que não se iludia após as cinco vitórias no campeonato, Carpegiani não acredita que tudo está errado após as duas derrotas.   - Eu sempre frisei que o São Paulo não estava nem melhor e nem pior que os outros. O que o Dagoberto falou reflete apenas a opinião dele. O problema é que uma derrota para um rival sempre mexe com o aspecto psicológico. Para piorar, ainda temos os problemas dos desfalques, eu simplesmente não consigo repetir uma escalação. Mas temos condições de reagir – lembrou o treinador.

A partir desta quinta-feira à tarde, Dagoberto voltará a treinar com os companheiros. Até o duelo no Rio de Janeiro, serão seis dias para que Carpegiani faça o atacante fumar o cachimbo da paz com os companheiros. Resta ver se ele vai conseguir. Afinal, como foi mostrado na derrota para o Botafogo, incidentes como esse só prejudicam a própria equipe.          

veja também